Foto: Divulgação

Um homem suspeito de estupro de vulnerável, contra uma adolescente de 13 anos, foi preso, na última terça-feira (3), após o veículo dele ser detectado pela inteligência artificial do Sistema Policial Indicativo de Abordagem (Spia). A abordagem foi realizada pelo motopatrulhamento do Batalhão de Polícia de Meio Ambiente (BPMA) da Polícia Militar do Ceará (PMCE). Já as investigações estão a cargo da Delegacia de Combate à Exploração da Criança e do Adolescente (Dceca) da Polícia Civil do Estado do Ceará (PMCE).

As informações foram repassadas em coletiva de imprensa na sede da SSPDS, na manhã desta quarta-feira (4), com a presença da delegada adjunta da Dceca, Yasmin Ximenes; da assessora de comunicação da Polícia Militar do Ceará, tenente-coronel PM Fátima de Paula; e do supervisor do Núcleo de Videomonitoramento da Ciops, tenente-coronel PM Alber Campos.

De acordo com as apurações conduzidas pela delegacia especializada da Polícia Civil, a vítima pulou do veículo para escapar da tentativa de estupro, que aconteceu no bairro Conjunto Ceará, em Fortaleza, na segunda-feira (2). Após as oitivas e levantamento de informações, as Polícias Civil e Militar iniciaram as diligências, que não cessaram até a captura do suspeito. A vítima, que se submeteu a exame pericial, teve lesões em decorrência da queda do veículo.

Com isso, nessa terça-feira (3), após a Polícia identificar a placa do carro utilizado na ação criminosa, a informação foi inserida no Spia às 13h13min. Pouco mais de três horas depois, às 16h28min, o carro foi detectado pelo sistema e visualizado pelas câmeras do videomonitoramento da Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops). “Foi uma resposta imediata e satisfatória. É importante ressaltar que estamos falando de um volume de aproximadamente 1,2 milhão de veículo circulando em Fortaleza”, destacou o tenente-coronel Alber Campos.

Com isso, os operadores realizaram um cerco inteligente, e os policiais militares abordaram o carro modelo Chevrolet Classic, de cor prata, em uma avenida do bairro São João do Tauape (AIS 10). “A partir do momento que aconteceu o crime, as diligências se iniciaram, com objetivo de identificar o veículo do infrator. É importante deixar claro que as buscas se deram sem intervalo, ininterruptamente. Na delegacia de Polícia Civil, a vítima, na companhia de uma psicóloga da Rede Aquarela, reconheceu o investigado. É importante destacar que o procedimento de reconhecimento foi feito nos moldes que determinam o Código de Processo Penal”, destacou a delegada Yasmin Ximenes.