Foto: Divulgação

O prefeito Roberto Cláudio assinou, nesta sexta-feira (16/10), a ordem de serviço para a  construção de seis novas estufas do projeto Hortas Sociais em Fortaleza. A ocasião contou com a presença do vice-prefeito Moroni Torgan, e o documento foi assinado no conjunto Marcos Freire, no bairro Mondubim, no terreno que será contemplado com um dos novos equipamentos.

 

O projeto tem como objetivo fomentar a agricultura social urbana, a segurança alimentar e a inclusão de idosos. As obras das novas hortas serão realizadas pela Secretaria Municipal da Infraestrutura (Seinf) e terão duração de seis meses. O investimento é de aproximadamente R$ 2,9 milhões e será implantado nos bairros Jardim das Oliveiras, Conjunto Palmeiras, Ancuri, Jacarecanga, Mondubim e Vila Velha

 

Roberto Cláudio destacou a possibilidade de produção de hortaliças orgânicas dentro do território urbano. “Já temos hoje três estufas, que garantem a inclusão de 4 mil idosos vulneráveis com essa política que envolve o trabalho e o resultado, que são cerca de 14 toneladas anuais de hortaliças produzidas. Hoje, ampliamos essa política para novas seis estufas, incluindo mais idosos e realizando uma maior produção da agricultura urbana”, disse.

 

Cada equipamento terá mais de mil metros quadrados de área com sistema de irrigação automatizado por gotejamento, estufa com 10 módulos com suportes em madeira Massaranduba, onde serão fixados os canteiros produzindo em fibra de coco, além de dois containers, onde funcionarão a área administrativa do equipamento, banheiro e depósito.

 

“A construção é um processo típico de engenharia, com preparação do terreno, instalação das estacas de Massaranduba, que são foto resistentes; cobertura em estrutura metálica, para guardar o calor gerado internamente; tubulações de água para a irrigação constante; além dos sistemas de bombeamento e controle da vazão de água”, explicou o secretário executivo de Infraestrutura, Roberto Resende.

 

O coordenador especial de idoso da Secretaria de Direitos Humanos e Defesa Social, Sérgio Gomes, ressaltou ainda que, após a implantação das estruturas, a comunidade idosa beneficiada passará a produzir hortaliças 100% naturais, participando de todo o cultivo e colheita, de forma gratuita.

 

“O idoso se inscreve, faz o credenciamento e participa de todo o passo a passo da produção, do mudário à colheita. Aprende sobre plantio sustentável, irrigação, importância do quintal produtivo. Essa integração faz com que, além do benefício com a verdura gratuita, a gente possa lhes dar a oportunidade de produzir esse alimento em casa”.