Foto: Reprodução Facebook

Três homens foram presos na manhã de segunda-feira (13), durante uma ação realizada por equipes da Polícia Militar do Ceará (PMCE) no bairro Vicente Pinzón. Na casa de um dos suspeitos, conhecido como “Aranha”, foram encontrados uma arma de fogo, coletes balísticos e outros materiais ilícitos. Já os outros dois indivíduos foram detidos após atentarem contra a viatura da PM, atirando pedras contra a mesma. O trio – que trabalhava como animador em um trem da alegria – foi encaminhado para o 9º Distrito Policial (DP), unidade da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) responsável pela região, onde foram realizados todos os procedimentos cabíveis ao fato.

Uma equipe da Força Tática (FT) patrulhava pelo Vicente Pinzón, quando receberam uma denúncia acerca de um imóvel situado na Rua Paulo Crispim, onde um indivíduo conhecido como “Aranha” comercializava drogas. A partir do que lhes foi informado, os policiais seguiram até a referida casa e ao se aproximarem perceberam uma movimentação estranha. Um dos agentes notou que um homem tentava escapar pelos fundos do terreno, mas este foi abordado pela composição. o homem passou por revista pessoal, mas nada de ilícito foi encontrado com ele.

Dando continuidade à ação, os militares fizeram buscas pela casa e também no quintal, local onde encontraram um revólver calibre 38, com três munições intactas; um carregador para pistola .40; três coletes balísticos; e uma bala clava. O material estava enterrado. No momento da apreensão, os policiais perceberam uma movimentação na parte externa da casa e ao saírem perceberam dois indivíduos atirando pedras contra a viatura. Os dois receberam ordem para cessar o ato e foram abordados. Apesar da resistência, os irmãos  foram contidos pelos agentes de segurança.

Com base no ocorrido, os três receberam voz de prisão e foram levados ao 9º Distrito Policial (DP), unidade responsável pela região. O Aranha foi autuado em flagrante por posse ilegal de arma de fogo e também por receptação. Já os irmãos  foram autuados por dano ao patrimônio público, desobediência e resistência à prisão. A Polícia Civil mantém as investigações e também diligências na região, agora com o objetivo de capturar outros partícipes da ação criminosa.