Suspeito de falsificar documentos e conseguir empréstimos de aposentados é preso

A Polícia Civil, prendeu um homem suspeito de falsificar documentos para tomar empréstimos em nome de aposentados, sem o conhecimento das vítimas. sem o conhecimento das vítimas. A prisão do homem foi realizada na última quinta-feira (16), quando ele se preparava para receber o pagamento das comissões sobre os contratos fraudados. De acordo com investigações, os valores dos contratos ultrapassam os R$ 24 mil. Até o momento, foram identificadas nove vítimas.

A equipe de policiais civis chegou até o suspeito por meio de diligências realizadas no dia 16 de novembro, no bairro Centro. O suspeito, identificado por Samuel Maia de Souza (31), ligou para o representante de um empresa de empréstimos consignados, marcando um encontro para levar os contratos forjados. Em troca, o homem esperava receber comissões sobre os contratos. Logo em seguida, os policiais civis foram até o local e efetuaram a prisão do homem. Os agentes de segurança constataram que as fotos dos documentos apresentados pelo suspeito não correspondiam com as idades que as pessoas aparentavam.

No decorrer das investigações, ficou constatado que Samuel falsificava os documentos das vítimas, mantendo os dados, mas trocando as fotografias. Com o documento adulterado, ele abria contas bancárias em nome das vítimas para serem depositados os valores do empréstimos fraudulentos. “Toda essa trama era feita sem o conhecimento das vítimas, que só se davam conta do golpe quando verificavam os descontos no benefício que recebiam do INSS”, como explica do titular do 2º DP, delegado Dionísio Amaral.

Em dois casos investigados pela Polícia Civil, as vítimas foram lesadas em empréstimos que chegaram a quase R$ 10 mil. Em ambos os casos, quando os aposentados foram até agência bancária para pedir esclarecimentos sobre os descontos do benefício, as vítimas foram comunicadas sobre os empréstimos. De acordo com as investigações, o suspeito fez dois empréstimos no nome de uma aposentada e abriu duas contas em bancos diferentes, uma em Fortaleza e outra em Acaraú. Em depoimento, a vítima contou que o gerente do banco lhe disse que a conta bancária tinha sido aberta via internet.

Samuel, que não possuía antecedentes criminais, foi indiciado pelo crime de estelionato.