Uma força-tarefa, voltada ao combate à pedofilia, realizada nesta quinta-feira (17) resultou em seis suspeitos presos com envolvimento em crimes de exploração sexual contra crianças e adolescentes no Estado. As prisões aconteceram em Fortaleza e fazem parte da Operação Luz da Infância 2, deflagrada em 24 estados brasileiros e no Distrito Federal.

A operação Luz na Infância 2 é realizada em parceria com a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) do Brasil e tem o objetivo de reprimir crimes cometidos contra crianças e adolescentes em ambiente virtual.

Ao todo, seis suspeitos foram presos, incluindo cinco por flagrante delito. As prisões aconteceram nos bairros Castelão, Cidade dos Funcionários, Jardim Guanabara e Varjota. Os homens têm entre 22 e 40 anos. Os presos foram conduzidos à Dceca e autuados no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), nos artigos 241 A, por oferecer, trocar, disponibilizar, transmitir, distribuir, publicar ou divulgar por qualquer meio, inclusive por meio de sistema de informática ou telemático, fotografia, vídeo ou outro registro que contenha cena de sexo explícito ou pornografia envolvendo criança ou adolescente, e no artigo 241 B, por adquirir, possuir ou armazenar, por qualquer meio, fotografia, vídeo ou outra forma de registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente.

“Essa operação gerou cinco flagrantes, por posse de material envolvendo exploração infanto-juvenil e compartilhamento. O perfil é bem diversificado. Nessa operação, entre os flagranteados a gente observou que são pessoas que têm certo nível de conhecimento, principalmente em informática. Todos são homens. São estudantes, advogados, turismólogos, pessoas que estão baixando e compartilhando material de pornografia infantil”, disse a delegada Yasmin Ximenes, titular da Delegacia de Combate à Exploração da Criança e do Adolescente (Dceca).

Durante os cumprimentos dos mandados de busca e apreensão nos imóveis alvos da investigação, as equipes apreenderam diversos equipamentos eletrônicos, como notebooks, HDs externos, CDs, CPUs de computador, aparelhos celulares, todos com conteúdo pornográfico armazenado. Todo o material foi encaminhado para a sede da Dceca, em Fortaleza, para serem incluídos aos autos. O material seguirá para o Núcleo de Informática Forense da Copec da Pefoce, onde será analisado.

A primeira fase da Operação Luz na Infância no Ceará foi realizada no dia 20 de outubro de 2017 e resultou nas prisões de dois homens, de 48 e 61 anos, ambos sem antecedentes criminais. Os suspeitos foram conduzidos à Dceca, onde confessaram o download de materiais de pornografia envolvendo crianças e adolescentes e foram autuados em flagrante.