Mais um balanço positivo foi registrado para a Segurança Pública do Ceará no mês de fevereiro. Seis dias após a divulgação feita pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), em que o segundo mês do ano apresentou o menor número de mortes provocadas por crimes violentos desde dezembro de 2019, o Estado agora apresenta melhoria nos números de Crimes Violentos Contra o Patrimônio (CVP), que englobam todos os tipos de roubos. O segundo mês de 2021 registrou uma retração de 44,9%. No ano passado, o Ceará contabilizou um total de 7.787 casos. Durante o mesmo período deste ano foram 4.292.

Quando se trata da soma de CVPs de janeiro e fevereiro, o ano de 2021 apresenta redução de 28,8%, com 9.063. O acumulado do mesmo período em 2020 totalizou 12.727 crimes. Se comparado com janeiro último, fevereiro também apresentou redução de 10%, com 4.771 contra 4.292 roubos. Os dados foram compilados pela Gerência de Estatística e Geoprocessamento (Geesp) da Superintendência de Pesquisa e Estratégia de Segurança Pública (Supesp).

“Como já mencionado outras vezes. O principal foco da Secretaria é o combate aos homicídios, aos roubos, ao tráfico de drogas e às organizações criminosas. Então, colocando essas prioridades, nós adotamos várias ações pela Secretaria da Segurança e pelas suas vinculadas. Em relação à Polícia Civil, como já dito, houve uma priorização no cumprimento de mandados de prisão pela prática de CVPs. Houve também a intensificação das investigações, quando foi utilizada a inteligência no apoio a essas investigações para que elas tivessem um melhor resultado”, disse o secretário da SSPDS, Sandro Caron. O gestor aproveitou para falar sobre o reforço no trabalho da PMCE que teve a contribuição de uma nova ferramenta lançada pela pasta e que auxilia na tomada de decisão em cada microterritório.

“Em relação à Polícia Militar, houve um aumento de abordagens e da presença ostensiva de policiais militares. Especialmente naqueles locais que chamamos de microterritórios que são regiões com altos números de assaltos, assim como também de homicídios. Então a partir de dados extraídos da ferramenta Status, que foi lançada recentemente, as Polícias colocaram seus efetivos exatamente nos locais onde há maior concentração de assaltos. Dessa forma, conseguimos fechar o mês com uma redução”, salientou Caron.

A ferramenta Status, citada por Sandro Caron, é o Sistema Tecnológico para Acompanhamento de Unidades de Segurança que consiste no uso de inteligência analítica para dados criminais, utilizando a ciência de dados, estatísticas, geoprocessamento e inteligência artificial. O Status foi desenvolvido pelo projeto Inteligência Científica e Tecnológica Aplicada à Segurança Pública, que é parte do Programa Cientista Chefe e fomentado pela Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap/CE), em parceria com a SSPDS, sob a gestão da Supesp.

A ferramenta Status reúne todas as ocorrências importadas de sistemas alimentados por profissionais da segurança pública, divididas por semana, mês e ano. Além disso, a plataforma analítica usa cenários a partir de cadastros de indicadores criminais para subsidiar decisões e ações direcionadas para cada necessidade. Há ainda a possibilidade de realizar uma apresentação visual do ambiente por meio da realização das análises de mapas (“manchas criminais”), análise de estatísticas por principais tipos criminais, entre outros serviços disponíveis no sistema.

Queda de CVP em todas as regiões

A queda do CVP foi alcançada em todas as quatro regiões do Ceará. A maior redução foi registrada na Região Metropolitana da Capital, com 52,1% de retração, indo de 1.485 para 712. Em seguida veio o Interior Sul, com 47,5%, indo de 541 crimes para 284. Depois veio Fortaleza, com 44,4%, com 5.272 CVPs em 2020 contra 2.930 em 2021. Por fim, Interior Norte, com 25,2%, indo de 489 para 366.

O balanço positivo vem acompanhado ainda do número de prisões e apreensões registradas neste ano decorrentes do trabalho das Forças de Segurança do Ceará nos 184 municípios cearenses. Fevereiro fechou com 2.808 capturas. Em média, cem pessoas foram levadas a delegacias da Polícia Civil, todos os dias, para serem autuadas em flagrante ou para que tivessem os mandados judiciais cumpridos. Os esforços coordenados pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social levaram as equipes da Polícia Militar do Ceará e da Polícia Civil do Estado do Ceará a superar a marca alcançada em janeiro de 2021, quando 2.524 pessoas foram retiradas de circulação, com média de 81 capturas por dia. No total, o número de capturados nos dois primeiros meses do ano chega a 5.332.