polícia

Em mais uma ação de combate à propagação de conteúdo criminoso na internet, a Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) retirou do ar, no último domingo (29), uma página na rede social Facebook que continha conteúdo pornográfico infantil e fazia apologia a crimes como estupro e violência contra idosos, mulheres e crianças. Antes de ser derrubada, a página possuía 172 mil seguidores. Os responsáveis pelo conteúdo criminoso são investigados, bem como os adeptos da página.

A ação é a segunda em uma semana que é realizada pelo Departamento de Inteligência Policial (DIP), em parceria com a Delegacia de Combate à Exploração da Criança e do Adolescente (Dceca) da PCCE, no combate à propagação desse tipo de conteúdo. Os policiais civis iniciaram as investigações após o secretário da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), André Costa, receber uma denúncia sobre a página. Após tomar conhecimento, em menos de 24 horas, o conteúdo foi retirado do ar. Mesmo com a derrubada da página, os policiais seguem investigando o fato com o intuito de descobrir sua origem, bem como os responsáveis e usuário do conteúdo criminoso.

O secretário Andre Costa ressaltou a importância do trabalho que resultou na retirada da página do ar. “Após receber uma denúncia por rede social, encaminhei ao conhecimento da Polícia Civil, que com muita rapidez, atuou junto a essa rede social e conseguiu derrubar uma página que continha muito conteúdo de pedofilia e era seguida por um grupo de pedófilos. Esse é um trabalho importante, cuja atribuição muitas vezes é da Polícia Federal, mas nunca deixaremos de agir contra um crime tão grave desse. Um crime que atenta não só contra a proteção da criança e do adolescente, mas contra toda a nossa sociedade. Por isso, parabenizo as equipes da nossa PCCE, que com muita rapidez e em contato com essa rede social conseguiu derrubar esses conteúdos e depois derrubar a própria página. A gente sempre vai continuar agindo. Estamos sempre abertos para receber denúncias, pelo nosso Disque-Denúncia 181, mas também por todas as nossas redes sociais, seja a minha particular, a da SSPDS, da Polícia Civil e das demais forças para que a gente possa atuar com muita rigidez e rapidez contra o crime”, frisou o secretário.