2c9835cc-8342-406a-9b41-fad7de4f3fc6 Segurança
Foto: SSPDS

A Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD) da Polícia Civil deflagrou, na última semana, a segunda fase da operação denominada “Tarja Preta”, que culminou na maior apreensão de medicamentos de venda proibida no Estado. Foram aproximadamente 140 mil comprimidos. Entre eles, remédios controlados, esteroides anabolizantes, abortivos e inibidores de apetite. Durante a investida policial, três pessoas foram presas em locais distintos. Duas delas, em flagrante, portando materiais destinados à comercialização e um terceiro envolvido, que foi capturado em cumprimento a um mandado de prisão preventiva, na manhã desta segunda-feira (28).

José Leonardo Sales de Freitas (51) foi preso, no Bairro de Fátima, na manhã de hoje. O suspeito é irmão de Evangelista Sales de Freitas (44), preso em outubro deste ano, na primeira fase da operação. José e Evangelista Sales trabalhavam com Antônia Regia Dantas Pereira (46) e Marlucia Pires de Oliveira (37) – também presas na primeira etapa da “Tarja Preta”. O grupo mantinha uma farmácia que era abastecida por medicamentos ilegais, no bairro Quintino Cunha..

Já na última terça-feira (22), a Polícia prendeu Raimundo Nonato Macedo da Costa (60), sem antecedentes criminais, no bairro Cidade dos Funcionários. O suspeito, que também era investigado desde a primeira fase da operação, foi preso quando se preparava para realizar a entrega de substâncias abortivas, inibidores de apetite e psicotrópicos.

Em seguida, os policiais seguiram para a residência do investigado, onde foram encontradas mais caixas contendo substâncias diversas, que totalizaram 98.030 comprimidos e 746 frascos e ampolas. Ainda no local, foram encontradas anotações relativas à contabilidade do comércio ilegal dos produtos.
Na quinta-feira (24), a DCTD prendeu Antônio Gotardo Sousa Araújo (57) – sem antecedentes criminais. Por meio de apurações e diligências, ele foi apontado como sendo um intermediário no repasse dos medicamentos apreendidos com Raimundo Nonato. Gotardo foi abordado no momento que saía de sua residência, no bairro Parquelândia. No veículo do suspeito, foram apreendidas algumas cartelas de comprimidos e em seguida, a Polícia realizou buscas na casa do investigado e apreendeu mais de 38 mil comprimidos. Com os levantamentos feitos pela Polícia Civil do Estado do Ceará, foi constatado que os medicamentos eram contrabandeados de outros países.

Os envolvidos foram enquadrados no artigo 273 do Código Penal Brasileiro, que consiste no Crime Contra a Incolumidade Pública. Raimundo Nonato Macedo da Costa também foi autuado por tráfico de drogas, pois com ele foram apreendidos psicotrópicos.

Primeira Fase
Na primeira fase da Operação “Tarja Preta”, ocorrida em outubro deste ano, a DCTD desarticulou um esquema de desvio e venda de remédios controlados, esteroides anabolizantes, inibidores de apetite, além de receitas e atestados médicos falsificados em Fortaleza. Nove pessoas foram presas e cerca de 85 mil comprimidos foram apreendidos.