Polícia procura três pessoas suspeitas de envolvimento no latrocínio de músico

A Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) procura três pessoas suspeitas de participarem do latrocínio que vitimou o músico Francisco Lucas Pereira de Souza (22), na última segunda-feira (5), em um estabelecimento comercial, no bairro Jangurussu. Em menos de 24 horas, uma mulher de 18 anos foi presa e autuada em flagrante pelo crime. Todos os suspeitos já estão identificados. Durante as diligências policiais, alguns pertences das vítimas, que estavam no local onde o crime ocorreu, foram localizados em dois endereços apontados pela suspeita.

O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), em conjunto com o 30º Distrito Policial, já conseguiu identificar todos os envolvidos na ação criminosa. Para preservar o andamento das investigações, os nomes dos suspeitos serão mantidos em sigilo. Os três são procurados pela Polícia pelo envolvimento no latrocínio.

A Polícia Civil reforça que a população pode contribuir com as investigações repassando informações que possam auxiliar os trabalhos policiais na localização dos suspeitos. As denúncias podem ser feitas pelo número 181, o Disque-Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), para o ‪‪(85) 3257-4807, do DHPP, ou ainda para o número ‪‪‪(85) ‪99111-7498, que é o WhatsApp do Departamento, por onde podem ser feitas denúncias via mensagem. O sigilo e o anonimato são garantidos.‬‬‬‬‬‬‬‬‬‬‬‬

Ato contínuo

Atuando em diversas frentes e de forma ininterrupta, equipes da 3ª Delegacia do DHPP, unidade responsável pelas investigações, e do 30º Distrito Policial caíram em campo no intuito de identificar e capturar todos os envolvidos na ação criminosa. De posse de informações de inteligência, os policiais civis localizaram Cristielen da Cunha Alves (18), sem antecedentes criminais e conhecida pela alcunha de “Mafiosa”. Ela foi presa em um apartamento de um conjunto habitacional, no bairro Ancuri (AIS 3), na tarde dessa terça-feira (6).

Na residência de Cristielen, os policiais civis localizaram o documento de um das vítimas e outros pertences roubados. Além disso, a pia do banheiro do imóvel estava suja de sangue, o que leva a crer que um dos suspeitos, ferido na ação, passou pelo apartamento com o objetivo de estancar o sangramento, de acordo com os levantamentos das equipes policiais. A informação foi comprovada pela presa em depoimento. Em um outro endereço, desta vez na Região Metropolitana de Fortaleza, os agentes encontraram roupas sujas de sangue e mais pertences das vítimas.

Ao prestar depoimento aos policiais, Cristielen confessou ter participado do crime e revelou ainda que foi ao estabelecimento fingindo ser cliente junto com uma amiga. Ela e a amiga consumiam cerveja no local, mas a intenção delas era repassar informações sobre a movimentação do estabelecimento, enquanto outros dois suspeitos se preparavam para realizar o crime.