Foto: WhatsApp O Lagoa

Equipes do Comando de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (CPRaio) da Polícia Militar do Ceará (PMCE) prenderam um homem de 18 anos suspeito de balear seis pessoas que estavam em um bar localizado próximo à Praça da Gentilândia, no bairro Benfica. A prisão do suspeito aconteceu, na noite dessa terça-feira (12), como resultado de uma ação rápida dos policiais militares que patrulhavam pela região. Durante as diligências, os militares apreenderam um adolescente de 16 anos flagrado com droga e suspeito de esconder o homem envolvido na ação criminosa.

Após serem informados sobre disparos de armas de fogo na região, via Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops), os policiais militares se deslocaram para o local situado entre as ruas Paulino Nogueira e Marechal Deodoro, para levantar as informações sobre o ocorrido e identificar possíveis suspeitos da ação criminosa. Os raianos então se dirigiram para um imóvel onde o homem apontado como autor dos disparos poderia estar escondido, no mesmo bairro, a cerca de 300 metros do bar onde as pessoas foram atingidas. O suspeito, identificado pelo nome de Walacy Paulo do Nascimento (18), foi encontrado num apartamento próximo ao do adolescente de 16 anos.

Walacy foi levado ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), prestou depoimento, confessou que agiu sozinho e alegou que foi até o bar, armado e de bicicleta, com a intenção de matar um desafeto em razão de um desentendimento entre eles. Em depoimento à autoridade policial, o suspeito contou que, após sair do local dos disparos, foi até o endereço do adolescente para que este lhe ajudasse na fuga. Porém a fuga não se realizou, pois ele foi abordado por policiais militares e levado para realização de flagrante. Após ser ouvido, Walacy foi autuado por tentativa de homicídio qualificado por motivo torpe.

Durante as buscas no imóvel do adolescente, os militares encontraram 220 gramas de maconha escondidos em três potes de vidro, uma balança de precisão e uma quantia em dinheiro. Diante das circunstâncias, o adolescente, que já tinha uma passagem anterior por tráfico de drogas e assumiu ser dono do material ilícito, foi levado para a Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA), onde foi instaurado um ato infracional análogo ao crime de tráfico de drogas em desfavor dele. Diligências seguem em andamento no intuito de localizar a arma do crime.

As seis vítimas atingidas pelos disparos de arma de fogo foram encaminhadas para unidades de saúde na Capital por profissionais do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e por meios próprios para receberem atendimento médico e não correm risco de morte. O DHPP instaurou inquérito policial para dar continuidade às investigações.