Após recebimento de denúncia anônima, equipes da Delegacia Metropolitana de Maracanaú (DMM), da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), impediram a realização de uma festa rave que aconteceria, nesse sábado (23), em uma chácara na Rua Ecologista Chico Mendes, no bairro Jacundá, em Aquiraz. Dois organizadores do evento foram identificados e um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) foi instaurado.

A PCCE recebeu denúncias sobre uma festa de música eletrônica que estava marcada para iniciar na noite desse sábado e terminaria apenas neste domingo (24), em Aquiraz. A estratégia de vendas e divulgação do evento foi todo realizado por meio de redes sociais e os organizadores cobravam ingressos nos valores de R$ 50,00 para mulheres, e R$ 70,00 para homens. Os pagamentos ocorriam por meio de transferência bancária. O local do evento só era informado duas horas antes do início da festa, que contaria com a participação de DJs.

Com as informações recebidas, as equipes de policiais da DMM seguiram para o local informado e, com apoio do Departamento de Inteligência (DIP) e da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core) da PCCE impediram a realização do evento. Além dos dois organizadores da festa, cerca de 80 pessoas que estavam no local foram abordadas. Durante a busca pessoal, os policiais encontraram três papelotes de cocaína e seis trouxinhas de maconha em duas bolsas pertencentes à duas pessoas que estavam no local. Indagadas sobre os entorpecentes, ambas informaram que seriam utilizados para consumo próprio.

Os responsáveis pela festa e os proprietários dos entorpecentes foram conduzidos até a Delegacia Metropolitana do Eusébio para lavratura dos procedimentos. Foram instaurados dois Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCO), um para os organizadores do evento, por crime contra a incolumidade pública, e outro por usuário de drogas para os proprietários do material ilícito encontrado.