Foto: Divulgação

A Polícia Militar do Ceará (PMCE), por meio do Batalhão de Polícia de Meio Ambiente (BPMA), desativou uma rinha de galo, nesse domingo (4), no bairro Lagoa Redonda, em Fortaleza. Durante a ação, os policiais abordaram cerca de 50 pessoas, que estavam no local. A ofensiva resultou nos resgates de 11 animais e nas conduções de oito indivíduos ao 30º Distrito Policial, onde um procedimento sobre o caso foi instaurado.

Uma composição do BPMA patrulhava na região, por volta do meio-dia, quando foi informada pela Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops) da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) de que em uma residência da localidade estaria ocorrendo uma grande aglomeração de pessoas para assistir a brigas de galos. Ao chegarem ao local e constatarem a veracidade do fato, os PMs solicitaram apoio a outras viaturas.

No imóvel, 50 pessoas foram encontradas em torno de uma arena improvisada, além de 11 galos que participariam de brigas. Durante a abordagem, os PMs identificaram seis proprietários de animais, além do dono da residência e de outro indivíduo responsável pelas apostas. Outros 76 galos foram encontrados no local, confinados em gaiolas.

Com os oito indivíduos, foram apreendidas 14 esporas de plástico e quatro de alumínio, uma serra pequena, 11 tesouras, sendo oito delas cirúrgicas, um alicate, uma arena, uma balança e R$ 4 mil em espécie.

Os policiais militares conduziram os oito homens para o 30º Distrito Policial, onde foi lavrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) contra eles por crime ambiental e por infração de medida sanitária preventiva, prevista no artigo 268 do Código Penal, em razão do decreto governamental em vigor por conta da Covid-19.

Os 11 galos que estariam participando da rinha foram resgatados em situações de maus-tratos. Já os outros 76 galos encontrados em gaiolas tiveram de permanecer no local da ocorrência, por não ter sido possível a identificação de seus proprietários. A ocorrência foi transferida para o 35º Distrito Policial, que segue com as investigações sobre o caso para identificar os responsáveis pelos 76 animais.