A Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) realizou, nessa segunda-feira (17), no bairro Prefeito José Walter, em Fortaleza, a prisão do último suspeito de participar de uma tentativa de latrocínio ocorrida no mês de abril. O caso ocorreu no bairro Jardim das Oliveiras, e teve como vítima um policial militar da reserva. Essa é a quarta prisão relacionada ao fato criminoso.

Nessa segunda-feira, os profissionais do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) realizaram mais diligências em busca de localizar Eduardo Lopes Barros, de 26 anos, que já responde por furto. Eduardo, conhecido como “Medrex”, foi o quarto e último integrante do coletivo criminal a ser preso suspeito de participação no caso.

As investigações para elucidar o caso foram conduzidas por equipes do DHPP, com o apoio da Coordenadoria de Inteligência (Coin) da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS). Três outros indivíduos suspeitos de participar da tentativa de latrocínio contra um profissional da reserva da Polícia Militar do Ceará (PMCE) foram presos em fases anteriores.

No dia 12 de abril, o grupo desembarcou de um veículo e tentou abordar o militar da reserva, que reagiu. Na ocasião, o PM entrou em luta corporal com um dos suspeitos, que se desvencilhou e disparou contra a vítima. Em seguida, os suspeitos fugiram com pertences do militar. Os trabalhos policiais já haviam resultado na apreensão da arma apontada como objeto utilizado no crime.

Prisões anteriores

Durante as investigações, foram presos os irmãos Antônio Dennys Sousa do Nascimento, 26 anos, e José Guilherme Sousa da Silva, 19 anos, além de Francisco Fábio Santos de Souza, de 18 anos. As investigações apontaram que Denny atuava como o chefe e motorista do grupo. Ele, que já possui antecedentes por tráfico de drogas, foi preso no dia 26 de abril no bairro Jereissati, em Maracanaú, por força de mandado de prisão preventiva, relacionado ao crime contra o militar.

Já os outros dois, José Guilherme e Francisco Fábio, foram presos na Comunidade Verdes Mares, no bairro Papicu, durante ação realizada no dia posterior ao crime, 13 de abril. Eles seriam ainda integrantes de um grupo responsável por uma série de roubos na Capital. Durante as ações, foram apreendidas várias munições e um colete balístico.