imagem-3-1 Segurança
Foto: SSPDS

Uma ação da Polícia Civil do Estado do Ceará, por meio da Delegacia de Repressões às Ações Criminosas Organizadas (Draco), realizada no último sábado (05), resultou na apreensão de uma arma de calibre .30 que nunca havia sido apreendida no Ceará. A metralhadora LEHKY KULOMET ZB, fabricada na antiga República da Tchecoslováquia, estava escondida em uma residência na comunidade da Rosalina, no bairro Passaré, em Fortaleza.

Conforme o delegado Osmar Berto, titular da Draco, a especializada investigava um grupo criminoso que teria essa arma com o intuito de utilizá-la em assaltos a instituições financeiras e carros-fortes. “Nós investigávamos a chegada desse armamento do Ceará, então descobrimos onde ela estaria escondida”, revelou o delegado. O delegado afirmou ainda que a arma veio do Estado do Rio de Janeiro e chegou há cerca de dez dias em solo cearense. “Nosso maior objetivo era retirar uma arma como esta, que tem capacidade de efetuar quinhentos disparos em um minuto, da mão de criminosos”, detalhou.

No último sábado, os policiais civis da especializada abordaram um veículo parado em atitude suspeita, na Rua Jacinto Matos, no bairro Pirambu. No carro, um Siena de cor preta e placas ORZ 1746, estavam Alexandre Gomes De Lima (18), que já responde por furto; Alexsandra Matias Batista (21), vulgo “Gabi”, e Fredson do Amarante Farias (39), ambos sem antecedentes criminais. Com eles, a Polícia apreendeu alguns tabletes de maconha prensada.

imagem-1 Segurança
Foto: SSPDS

Após a abordagem, os policiais seguiram até a residência de “Gabi”, na Avenida 2, na Comunidade da Rosalina, no Passaré, e localizaram a arma e mais maconha. O material estava escondido em um fundo falso em um quarto da residência. No total, a Polícia apreendeu a metralhadora Lehky Kulomet ZB calibre .30, 72 munições do mesmo calibre, cerca de 16 quilos de maconha prensada, além de uma pequena quantidade de cocaína, um caderno com a contabilidade do grupo criminoso, comprovantes de movimentações bancárias, celulares e a quantia de R$ 1,2 mil.

Em depoimento, “Gabi” confirmou que a arma pertencia ao seu companheiro identificado pela alcunha de “Maineime”, que atualmente cumpre pena em uma das Casas de Privação Provisória de Liberdade (CPPL). “A “Gabi” era o braço direito do seu companheiro fora da cadeia. Ela assumiu os negócios ilícitos dele, comercializando drogas, guardava a arma e mantinha contato com os comparsas do “Mainaime””, afirmou Osmar.

O trio foi levado para a sede da Draco, no bairro de Fátima, onde foi autuado em flagrante por tráfico, associação para o tráfico de drogas, posse ilegal de arma de fogo e munição de uso restrito, associação criminosa e receptação. As investigações prosseguem no sentido de identificar e prender os demais envolvidos no grupo criminoso.

Apreensão de armas

De janeiro a outubro de 2016, as Polícias Civil e Militar do Ceará apreenderam 4.885 armas de fogos. O mês com maior registro de apreensões em 2016 foi outubro, com 556 armas coletadas; seguido pelo mês de janeiro, com 525 apreensões. As armas mais apreendidas são o revólver com 2.888 unidades apreendidas – o que corresponde 59,11% das apreensões -; seguido pela espingarda com 1.142, equivalente a 23,37%; e 704 pistolas, equivalente 14,41% das apreensões. No mesmo período, a apreensão de armamentos com maior potencial destrutivo foi de 23 unidades, sendo cinco escopetas, 13 fuzis, duas metralhadoras e três submetralhadoras.