Foto: Reprodução

Ações rápidas e precisas, inteligência e investigação policial, tecnologia aplicada à segurança pública e habilidade dos agentes de segurança pública do Ceará. Esse combo faz parte do conjunto de estratégias empregadas pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Estado do Ceará (SSPDS/CE) no combate a grupos criminosos que atuam em roubos e furtos a agências bancárias, empresas de transporte de valores, caixas eletrônicos, postos e terminais de atendimentos no Estado. A redução desse tipo de crime no Estado foi de 84,1% comparando os oito primeiros meses deste ano em relação ao mesmo período de 2016. Há quatro anos, entre janeiro e agosto de 2016, foram registrados 44 casos de roubo ou furto contra sete do mês um ao mês oito de 2020.

O ano de 2020 marca o quarto ano consecutivo de quedas nos registros de roubo e furto a instituições financeiras no Ceará. Em 2016, o número chegou a marca de 62 ocorrências. Depois, foram registrados 56 e 41 casos, nos anos de 2017 e 2018, respectivamente. Em 2019, a queda foi a mais acentuada na série histórica, chegando a 14 ocorrências nos 12 meses, incluindo quatro meses com nenhum evento contabilizado. Em 2020, quatro dos oitos meses com dados já consolidados também zeraram a estatística: janeiro, maio, julho e agosto, empatando a série de meses sem registros com a do ano passado e se aproximando a melhor marca do Estado.

O secretário da SSPDS/CE, Sandro Caron, evidencia a integração entre as ações conjuntas das Polícias Civil e Militar, da Ciopaer e da tecnologia no emprego de diligências no enfrentamento às ações criminosas. “Nós estamos observando aqui no Estado, desde 2016, uma redução nesses crimes contra instituições financeiras. Deve-se ao trabalho integrado realizado pela Polícia Militar e também pelo trabalho de investigação da Polícia Civil, a interiorização da Ciopaer e o uso de ferramentas de tecnologia, como o videomonitoramento e o Sistema Policial Indicativo de Abordagem (Spia)”, explica o titular da SSPDS.