Empresário paraense suspeito de aplicar golpes avaliados em mais de R$ 1 milhão é preso

A prisão ocorreu, na última segunda-feira (29), em uma madeireira localizada no bairro Luzardo Viana, em Maracanaú, por força de um mandado de prisão preventivo pelo crime de estelionato.

O suspeito sem antecedentes criminais registrados no Ceará, foi capturado em seu comércio. No momento da abordagem, ele não reagiu à prisão. Conforme as investigações policiais, o homem é investigado por aplicar golpes contra produtores rurais do Pará. Ainda segundo a Polícia, o homem – que possuía uma empresa de cereais no estado paraense – realizava a compra de sacas de sementes de cacau e, ao receber o produto, efetuava pagamentos de valores irrisórios ou emitia notas com promessa de pagamentos que não eram realizados. Os valores devidos por ele as vítimas podem chegar ao montante de R$ 1 milhão.

Após aplicar os golpes, o homem fechou os estabelecimentos comerciais que possuía nas cidades de Medicilândia e Anapu e fugiu para o Ceará, onde tentou se estabelecer como comerciante no ramo de madeireiras. “Nós descobrimos o seu paradeiro e identificamos que ele possui parentes que moram em Maracanaú. A partir daí, concentramos nossa investigação em conjunto com a Polícia do Ceará, que nos ajudou na localização e na captura dele”, explicou Fernando Marcolino, delegado de Homicídios no Pará.

Um fato que chamou a atenção da Polícia foi o homem ostentar, em redes sociais, o estilo de vida que mantinha no Ceará. Em várias fotos é possível observar o suspeito em um apartamento na Avenida Beira Mar, na orla de Fortaleza, considerada uma das regiões com o metro quadrado mais caros da capital cearense. Além disso, ele costumava compartilhar fotos em pontos turísticos da cidade. Ele foi encaminhado para a Delegacia Metropolitana de Maracanaú onde aguarda autorização judicial de transferência para o Pará, onde deverá responder pelos crimes cometidos.

Já no Ceará, a Polícia Civil apura se Wesley cometeu crime semelhante ao praticado no Pará. Caso alguma vítima o reconheça, pode procurar a delegacia de Polícia mais próxima e registrar o fato.