Foto: Reprodução

Na tarde deste domingo (28), em reunião na sede da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), o governador Camilo Santana, anunciou, uma força-tarefa envolvendo diversos órgãos, para combater o crime organizado no Ceará.

A força-tarefa foi desencadeada após a maior chacina já registrada no Estado, que deixou 14 pessoas mortas na madrugada do último sábado (27), no bairro Cajazeiras. O governador anunciou que será formada por vários órgãos como, Secretaria de Segurança. Secretaria de Justiça, Ministério Público, Polícia Federal, entre outros. A ação busca nesse primeiro momento, coibir possíveis consequências da chacina e chegar até os responsáveis por essa ação criminosa.

Durante a reunião, Camilo anunciou algumas medidas que farão parte dessa força-tarefa, como por exemplo, a criação de uma unidade física de um Centro Integrado, formado por pessoas do setor de inteligência do Poder Judiciário, SSDPS, Tribunal de Justiça, Polícia Federal e Secretaria de Justiça, assim as informações chegarão com mais agilidade para esses órgãos, e a sociedade terá uma resposta mais eficiente. Outro ponto destacado pelo governador foi, a criação de um grupo especializado da Polícia Federal, para o combate do crime organizado no Ceará. Também foi anunciada a criação de uma vara especial no combate ao crime organizado, para que crimes como esse, sejam direcionados para uma única vara, dando mais agilidade ao processo.

“São decisões importantes que mostram que os poderes e as instituições estão cada vez mais unidas para combater o crime organizado em nosso estado. Sobre a chacina ocorrida no último sábado (27), informamos que outros cinco suspeitos já foram identificados. Operações estão sendo realizadas com o objetivo de capturar todos os envolvidos o mais breve possível”. Comentou o Governador.

Além dessas medidas que fazem parte da força-tarefa, o governador Camilo Santana anunciou ainda, o reforço de 1.400 policiais até maio deste ano. Quem também ganhará reforço será o efetivo da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), que terá seu corpo de pessoal dobrado. Além disso, a Coordenadoria de Inteligência (Coin) da SSPDS também vai receber um reforço de 30 homens.