Em massa, no palito, com ou sem lactose… Segundo pacientes que lidam com a quimioterapia, o sorvete, celebrado neste dia 23 de setembro, é um grande aliado durante o tratamento oncológico. A sobremesa gelada, de acordo com relatos, ajuda a combater efeitos colaterais causados pela medicação, amenizando dores e diminuindo a sensação de gosto ruim na boca após a ingestão de alimentos e bebidas diversas. Benefícios que de acordo com a nutricionista do CEONC Hospital do Câncer em Cascavel/Paraná, Tatiane Guis, fazem todo sentido.
“Os alimentos com menores temperaturas causam vasoconstrição, o que diminui a irrigação local e a chegada de quimioterápicos na boca, reduzindo os efeitos típicos dessa terapia”, explica a nutricionista.
Mas nem por isso, o consumo deve ser exagerado. De acordo com a profissional, o indicado é que os pacientes invistam em receitas caseiras, incluindo frutas, sucos e até mesmo água de coco. Dessa forma, o sorvete cumpre o seu papel, mas também oferece saúde e equilíbrio.
“Sorvetes industrializados possuem um valor calórico alto devido a quantidade de gordura e açúcares adicionados. Devido a isso seu consumo deve ser moderado. Temos opções saudáveis, fáceis de preparar e caso o paciente tenha indicação e faça uso de suplemento nutricional, estes itens podem ser adicionados ao preparo, tornando o sorvete ainda mais nutritivo”, destaca Tatiane.
Uma das receitas mais tradicionais, repassadas para pacientes em tratamento quimioterápico, envolve a mistura de fruta, evitando componentes muito ácidos como abacaxi e laranja, por exemplo. De preparos simples, os sorvetes caseiros podem ser bons aliados no período.
“Basta congelar por aproximadamente 4 horas, 3 unidades de bananas cortada em rodelas e outra fruta de preferência (morango, abacate, manga). Depois, no mixer ou no liquidificador, é só colocar as bananas e bater bem até formar um creme. A segunda fruta deve ser adicionada aos poucos. Quando o creme estiver homogêneo, é só levar ao refrigerador até ficar firme”, recomenda a nutricionista.