Por volta das 9h da manhã desta terça-feira (22) chegou ao Brasil o primeiro lote da vacina da Janssen, com 1,5 milhão de doses compradas pelo Ministério da Saúde. O material foi entregue no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, esteve presente no local no momento em que o avião chegou ao País, vindo dos Estados Unidos. A expectativa era que o Brasil recebesse 3 milhões de doses neste primeiro lote ainda na semana passada, mas, segundo Queiroga, a carga não foi enviada por “questões regulatórias” do governo norte-americano.

Durante a chegada deste imunizante nesta terça-feira, o ministro Queiroga realizou um pronunciamento em que ressaltou a importância da vacinação para o controle da pandemia de covid-19. “Mais 1,5 milhão de doses de esperança para o povo brasileiro”, disse ele durante o recebimento da Janssen. “Já atingimos a meta de 40% da população brasileira acima dos 18 anos com a 1ª dose. Em setembro, teremos a população acima de 18 anos imunizada com a 1ª dose da vacina contra a Covid-19. É a esperança de por fim ao caráter pandêmica desta doença”, afirmou Queiroga.

Saiba mais sobre o primeiro lote da Janssen

Janssen é a vacina desenvolvida pela divisão farmacêutica do grupo Johnson&Johnson, que leva o mesmo nome. O imunizante apresentou eficácia de 66% para os casos moderados a graves, e de 85% para os casos graves.

A eficácia mínima recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pela Anvisa é de 50%.

A Janssen pode ser armazenada por pelo menos 3 meses, em temperaturas de 2°C a 8°C, equivalente a geladeiras normais. Em temperaturas de -20°C ela fica estável por 2 anos.