teste coronavirus
Fotos: Alejandra De Lucca V. / Minsal 2020

Depois de Manaus, outras cidades iniciaram o alerta para o risco de colapso no sistema de saúde com o aumento de casos devido às novas variantes do vírus. Nesta semana, a cidade paulista Araraquara iniciou o lockdown para conter a situação, já que novos casos foram confirmados pelas variantes.

Para o especialista Prof. Dr Euclides Matheucci, co-fundador da DNA Consult, mesmo que as variantes não tenham sido confirmadas em outras cidades, é possível que elas já estejam circulando em todo o país. O professor também alerta sobre os riscos maiores de transmissão.

“É muito provável que a cepa de Manaus já esteja circulando em todo o país e isso trará problemas muito sérios para todos nós. Há evidências que sugerem que algumas das mutações na variante P.1, detectada em Manaus, podem afetar a transmissibilidade e perfil antigênico, o que pode comprometer a capacidade dos anticorpos gerados por uma infecção natural anterior ou por vacinação de reconhecer e neutralizar o vírus. Um estudo recente relatou um conjunto de casos em Manaus em que a variante P.1 foi identificada em 42% dos espécimes sequenciados no final de dezembro. Nesta região, estima-se que aproximadamente 75% da população tenha sido infectada com SARS-CoV2 em outubro de 2020. No entanto, desde meados de dezembro, a região observou um aumento de casos. O surgimento desta variante levanta preocupações sobre um potencial aumento na transmissibilidade ou propensão para a reinfecção de indivíduos por SARS-CoV-2”, afirma Matheucci.

O especialista também explica que os métodos diagnósticos são determinantes para descobrir as novas variantes, reforçando que o melhor método é o PCR em tempo real que possui análise simultânea dos genomas do vírus.

“É importante comentar sobre a eficiência do PCR Tempo Real no diagnóstico das diferentes variantes. Esta metodologia é indicada pelo CDC, OMS e Anvisa, onde são analisados simultaneamente dois segmentos do genoma viral. A maioria dos laboratórios têm trabalhado com o PCR analisando apenas um segmento do genoma viral. Uma publicação científica recente mostra que a análise de 10.022 genomas do SARS CoV-2 revelou 5775 variantes distintas> Isso significa que a análise de apenas uma sequência do genoma viral é altamente perigosa e pode resultar em laudos falsos negativos. A qualidade do diagnóstico é muito importante neste momento”, acrescenta Euclides.