No Dia Nacional de Luta Contra Queimaduras, quarta-feira (06/06), o Instituto Doutor José Frota (IJF), referência no tratamento de vítimas de traumas de alta complexidade, intoxicações e também queimaduras, realiza uma programação especial para promoção da prevenção de acidentes, tanto em ambientes domésticos como nos locais de trabalho.

As ações, que são coordenadas pelo Núcleo de Queimados do hospital e contam com a colaboração do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará e da ENEL Distribuição Ceará, tem início na quarta-feira (06/06), às 10h, no auditório principal do hospital, com palestras de conscientização sobre os cuidados com a manipulação de líquidos e alimentos quentes, produtos inflamáveis, eletrodomésticos e redes de abastecimento elétrico. A primeira turma terá como público os acompanhantes dos pacientes das diversas áreas do hospital, que receberão as orientações e se tornarão multiplicadores das informações, além de reforçarem os cuidados em suas casas e na rua. Na quinta-feira (07 e 08/06), as equipes de sensibilização abordarão os visitantes que chegarem ao hospital, com a distribuição de folhetos e projeção de vídeos.

No decorrer do mês, as equipes sairão do IJF para a promoção da prevenção em instituições de ensino, empresas e demais órgãos públicos e privados.

Núcleo de Queimados do IJF
O Núcleo de Queimados do IJF é referência no Norte e Nordeste e possui uma equipe multidisciplinar composta por profissionais especializados, como clínicos gerais, cirurgiões plásticos, enfermeiros, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, nutricionistas e psicólogos. A estrutura da unidade conta com Centro Cirúrgico, Ambulatório, Enfermarias, Sala de Fisioterapia e Terapia Ocupacional.

Por ano, a Emergência do IJF acolhe uma média de 3.600 novos pacientes, com ferimentos graves e, muitas vezes, com sequelas permanentes, como amputação de membros e redução de mobilidade. Só em 2017, foram 3.721 casos, sendo 1.169 causados por contato com bebidas e alimentos quentes, constituindo a principal causa das queimaduras, seguido de exposição a fogo e fumaça, com 427 casos, e contato com superfícies superaquecidas, 259.