A Prefeitura de Fortaleza aplicou a primeira dose da vacina contra a Covid-19, nesta terça-feira (19/01), em 481 profissionais da saúde ativos, que atuam na linha de frente do combate à pandemia, e em 173 idosos acima de 60 anos residentes em Instituições de Longa Permanência (ILPI). Os contemplados fazem parte do grupo prioritário, da 1° fase da campanha. Além deles, as pessoas com deficiência em ILPIs acima de 18 anos e os índios também estão inseridos e serão vacinados durante a semana.

A equipe de imunização atuou nas unidades municipais Instituto Dr. José Frota (IJF), Hospital e Maternidade Dra. Zilda Arns (Hospital da Mulher), Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Edson Queiroz e a Base do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192) no bairro Pici. Profissionais dos hospitais São José de Doenças Infecciosas (HSJ) e Leonardo da Vinci (HLV), geridos pelo Governo do Estado do Ceará, também receberam a vacinação.

“Ficamos felizes com a vacinação no IJF, pois, mesmo após o ano inteiro no combate à Covid-19, os nossos colaboradores ainda estavam ali de pé, firmes, atentos, e foram lembrados nesse momento como pessoas que estão cuidando e que mereciam também serem cuidadas. Então, a gente recebeu isso de forma muito acolhedora, muito confortante e assim, de fato, como um reconhecimento da atuação que todo mundo que está junto do hospital fez no combate à Covid”, afirma Riane Azevedo, superintendente do IJF.

O Lar Torres de Melo foi a primeira instituição de acolhimento de idosos a ser contemplada com a vacinação. No local, além dos idosos, 88 profissionais da unidade foram imunizados. Aos 79 anos, o aposentado Elcias Albuquerque, que convive com doença pulmonar obstrutiva crônica e superou uma infecção pelo novo coronavírus, foi o primeiro a receber a dose da vacina no Lar Torres de Melo.

Para o prefeito José Sarto, este é um momento histórico. “A vacina foi esperada por todos os povos e por todas as nações. Imunizar os nossos idosos pouco tempo depois da liberação pela Anvisa reacende a nossa esperança. São mais de 100 pessoas neste lar, de 60 a 106 anos, que ganharão uma chance a mais na vida. Isso nos faz acreditar em um novo tempo”, comemorou.