size_810_16_9_magnesio Saúde
Foto: Getty Images

É um mineral que está envolvido em muitas reações biológicas, uma vez que sua principal função está associada à ativação de várias enzimas que participam do metabolismo de carboidratos, lipídeos, proteínas e eletrólitos.

Está associado ao metabolismo do cálcio já que é necessário da transformação da vitamina D3 na sua forma ativa, e recentemente tem sido apontado como importante modulação na secreção do hormônio paratireoide.

O que acontece com sua deficiência?

A deficiência de magnésio está associada a baixa ingestão dietética ou outros fatores, tais como: síndrome de má absorção, exercício físico intenso, nutrição parenteral prolongada, quadros de estresse, deficiência de vitamina B e boro, exposição á substâncias tóxicas, tabagismos e disfunções endócrinas, além de doenças cardiovasculares, neuromusculares e síndromes renais.

Vários estudos em humanos e animais tem mostrado que a deficiência de magnésio pode causar resistência a insulina, causando prejuízo na captação de glicose mediada pela insulina. Em humanos a deficiência de magnésio esta associado a um risco aumentado de desenvolver diabetes tipo 2, aumentando  a intolerância a glicose.

O mineral magnésio é necessário também pela formação óssea e sua deficiência pode ser frequentemente verificada em pacientes com osteoporose.

Em casos de tensão muscular intensa e dor generalizada no corpo pode está relacionada à deficiência de magnésio, pois este nutriente atua no relaxamento dos músculos.

Onde encontrar?

O magnésio faz parte da clorofila, um pigmento da coloração à planta. Por isso pode ser obtido pelo consumo de vegetais folhosos verdes (couve manteiga, espinafre, agrião), o mineral pode está presente em algumas sementes (semente de abóbora e girassol); frutas (uva passas banana nanica, abacate, figo) oleaginosas (amêndoas, avelã, castanha-do-pará, caju, amendoim); cereais (grão de bico, ervilha, lentilha, farinha de soja) e em menores quantidades leites e derivados.

Inclua o magnésiol!

Assim um cardápio rico em magnésio como estratégia de saúde pública, assim como potencial uso de suplementação para correção de transtornos metabólicos e cardiovasculares.

Informações para quantidade e indicações, procure sempre um nutricionista.

Por: Tatiana Brito