Atividade física melhora condicionamento cardiorrespiratório e auxilia pessoas com asma

A atividade física é uma das práticas mais democráticas que existem. Com a devida recomendação médica e atenção às suas particularidades, todos podem e devem fazer. E assim também é para as pessoas portadoras de asma.

Em atenção ao Dia Nacional do Controle da Asma, especialistas falam sobre a importância de manter o corpo ativo para melhorar o condicionamento cardiorrespiratório e auxiliar na melhora da qualidade de vida de quem sofre com a doença.

Segundo o educador físico da SELFIT Academias Rafael Oliveira, a prática de exercícios aeróbicos fortalece o corpo e tende a aumentar a tolerância da pessoa com asma na realização de esforços físicos da vida cotidiana, como caminhar, subir escadas e correr, entre outros.

“Em outras palavras, a prática regular de atividade física aeróbica melhora a qualidade de vida do paciente asmático”, concorda o pneumologista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, Dr. Celso Padovesi, reforçando a opinião do especialista da SELFIT.

No entanto, o médico ressalta a importância de estar com os sintomas controlados. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), atualmente há cerca de 235 milhões de pessoas com asma no mundo.

No Brasil, mais de 30% da população asmática não faz o tratamento de forma correta, levando a um descontrole da doença, conforme dados divulgados pela Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT).

Sem o acompanhamento médico adequado, o paciente poderá sentir dificuldade para praticar exercícios físicos, correndo o risco de ter crises de falta de ar e tosse durante ou logo após a atividade.

“É recomendado que o paciente passe em uma avaliação com pneumologista antes de iniciar a prática de exercícios e siga fazendo o acompanhamento”, frisa o Dr. Celso.

Dicas de exercícios físicos para portadores de asma

Oliveira recomenda treinos de intensidade moderada. “A pessoa que tem asma pode realizar atividades de três a cinco vezes por semana com exercícios aeróbicos, iniciando com 20 minutos por dia.”

Segundo ele, com a evolução do seu condicionamento, é possível ampliar o tempo de treino para até 60 minutos por dia, sempre respeitando o intervalo de dez minutos entre cada atividade.

Para aumentar a resistência muscular, a dica do especialista é intercalar com exercícios focados nos grandes grupos musculares.

“A prática contínua moderada proporcionará o suporte necessário para atender ao aumento de estímulo gerado pelas atividades aeróbicas”, salienta.

Confira algumas das sugestões do educador físico da rede SELFIT:

  1. Agachamento

Em pé, com as pernas afastadas e os pés posicionados para frente, flexione os joelhos como se fosse sentar.

Repetição: duas séries de dez, com pausas de 30 segundos

  1. Flexões de braço

Na mesma posição da prancha frontal, porém com as mãos apoiadas no chão, flexione os braços e retorne à posição inicial.

Repetição: duas séries de seis flexões, com pausas de 30 segundos

  1. Abdominais

Deitado com a barriga para cima, estique as pernas para o alto, apontando o calcanhar para cima. Faça um pêndulo com as pernas de forma sutil, sem tirar a lombar do chão.

Repetição: três séries de 15 flexões, com pausas de 30 segundos

Cuidados especiais

Nessa época do ano, os pacientes asmáticos costumam sofrer com a falta de ar, pois variações abruptas da temperatura e umidade do ar, muito frequentes no outono e inverno, são fatores que podem desencadear uma crise asmática.

Por isso, o pneumologista da Rede São Camilo recomenda ao paciente atenção especial ao aumento dos sintomas após o treino aeróbico, especialmente se o fizer ao ar livre em dias mais frios e secos.

“Não há contraindicação para praticar atividade física em dias mais frios, mas é crucial que o paciente mantenha seu tratamento medicamentoso e procure um pneumologista se houver sintomas de crise, para que seja precocemente tratado”, alerta.