Foto: Divulgação

A dois dias de encerrar o prazo do decreto que estabelece medidas de isolamento mais rígidas em Fortaleza, 1.500 ocorrências foram atendidas durante as ações de fiscalizações para o cumprimento da legislação estadual. O acumulado corresponde aos dados compilados das 19 horas da quinta-feira (7) até as 8 horas desta segunda-feira (18). O relatório, gerado diariamente pelo Gabinete de Gestão de Eventos Complexos (GCEC), contabilizou 1.479 acionamentos, sendo 974 por aglomerações de pessoas, 401 por comércios abertos e 104 casos de descumprimento ao uso de proteção individual.

As Áreas Integradas de Segurança (AIS) que mais registraram ocorrências são as AISs 1, 3, 5 e 8. As barreiras fixas e as blitze móveis já abordaram quase 62 mil veículos identificados circulando pelas ruas da cidade e também que precisaram passar pelas divisas municipais. Os condutores ou passageiros que não tiveram seus deslocamentos justificados ou que estavam sem máscara facial foram orientados a retornarem aos seus domicílios, como medida de prevenção. Os trabalhos integrados permanecem até o fim do decreto, no dia 20 de maio.

As estatísticas são geradas diariamente por representantes dos órgãos estaduais e municipais que compõem o Gabinete de Gestão de Eventos Complexos (GCEC), instalado na sede da SSPDS. O GCEC conta com a presença física e remota de representantes da SSPDS, das Polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros Militar, Superintendência de Pesquisa e Estratégia de Segurança Pública (Supesp), Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Guarda Municipal de Fortaleza (GMF), Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) e Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis).

O plano operacional estabeleceu a instalação de sete barreiras fixas nas vias de entrada e saída de Fortaleza, que foram montadas para evitar a circulação de pessoas sem justificativa entre os municípios. Os locais contam com efetivo da Polícia Militar do Ceará (PMCE), da Guarda Municipal de Fortaleza (GMF), da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) e da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Os trabalhos também ocorrem em blitze e patrulhamentos volantes montados em 104 quadrantes de Fortaleza.

Durante as abordagens, os dados dos veículos e condutores que passam pelas barreiras são cadastrados pelos agentes de segurança no Portal do Comando Avançado (PCA), uma ferramenta desenvolvida pela SSPDS para auxiliar os trabalhos de seus servidores. Por meio do aplicativo, as equipes podem consultar placas de veículos, nomes e identificação por meio da biometria, além de incluir informações dos motoristas abordados. O trabalho humano tem o apoio também do Sistema Policial Indicativo de Abordagem (Spia) e do Núcleo de Videomonitoramento (Nuvid) da Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança.