Primeiro Clássico-Rei de 2019 terá reforço de 571 PMs

Foto: Reprodução / Ceará

O primeiro clássico-rei a ser disputado em 2019, que abre uma das maiores séries de confrontos, em um mesmo ano, entre as principais equipes do futebol cearense, Fortaleza e Ceará, vai contar com reforço policial antes, durante e depois da partida. A Polícia Militar do Ceará (PMCE), por meio do Batalhão de Policiamento de Eventos (BPE), desenvolveu um plano estratégico que será realizado dentro e nas proximidades do estádio Arena Castelão, além dos terminais de ônibus. O jogo está programado para ocorrer neste domingo (10), às 16 horas.

Ao todo, 571 policiais militares fazem parte do reforço policial para o jogo, que será intensificado no entorno do estádio, nas principais vias de acesso ao local e em todos os terminais de ônibus de Fortaleza. Dos 571, 235 PMs estarão na área interna e os demais na parte externa do estádio. Entre as composições empregadas estão os batalhões especializados, como o Comando de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (CPRaio) e Comando de Policiamento de Choque (CPChoque).

Atuarão, durante o evento, além da PMCE, a Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), o Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará (CBMCE) e a Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) da SSPDS, além de outras forças amigas, como a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) e a Guarda Municipal de Fortaleza.

Além do reforço de policiais militares, os torcedores contarão com policiais civis – entre delegados, escrivães e inspetores – no plantão especial do 16º Distrito Policial e no posto avançado de atuação da Polícia Civil, que fica dentro do estádio. Bombeiros militares também estarão de serviço no local. As viaturas do Batalhão de Polícia de Meio Ambiente (BPMA) atuarão coibindo poluição sonora no estacionamento interno e nas proximidades da Arena Castelão. A Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) deverá realizar sobrevôos nas áreas próximas ao evento, com o intuito de identificar e sinalizar eventuais tumultos ou ações delituosas.