A Prefeitura de Fortaleza reforça as ações de imunização contra a influenza neste sábado (11) com a abertura de 26 pontos de vacinação, entre postos e mini postos. A ampliação do serviço é mais uma iniciativa da gestão para facilitar o acesso do publico-alvo às vacinas. O atendimento será das 8h às 12h nos mini postos, e das 8h às 16h30 nos postos de saúde.

Estarão abertas as unidades Carlos Ribeiro (Jacarecanga), Floresta (Barra do Ceará), Irmã Hercília (São João do Tauape), Paulo Marcelo (Centro), Anastácio Magalhães (Rodolfo Teófilo), Licínio Nunes (Quintino Cunha), Luis Costa (Montese), Valdevino de Carvalho (Itaoca), Paracampos (Mondubim), Maciel de Brito (Conjunto Ceará), Melo Jaborandi (São Cristovão) e Messejana (em Messejana), além de outros pontos estratégicos espalhados pela Cidade.

Confira aqui todos os locais de vacinação.

A vacina está disponível para pessoas com idade a partir de 60 anos, crianças de 6 meses até menores de 6 anos (5 anos, 11 meses e 29 dias), trabalhadores de saúde, professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), pessoas privadas de liberdade — o que inclui adolescentes e jovens de 12 a 21 anos em medidas socioeducativas — e os funcionários do sistema prisional (este grupo será vacinado no seu local de trabalho). Quem tem doenças crônicas não transmissíveis, incluindo pessoas com deficiências específicas, também deve se vacinar.

A vacina protege contra os três subtipos do vírus da gripe (H1N1, H3N2 e influenza B) determinados pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Saiba mais

A Influenza é uma doença respiratória infecciosa de origem viral que pode levar ao agravamento e ao óbito. A transmissão ocorre por meio de secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir, espirrar ou pelas mãos. A campanha tem o objetivo de reduzir as complicações, internações e a mortalidade decorrente das infecções pelo vírus, além de atualizar a caderneta de vacinação dos grupos prioritários, considerando o risco para as doenças imunopreveníveis e de baixas coberturas vacinais.