Foto: cmfor

Na sessão ordinária dessa quinta-feira, 14, fazendo uso do tempo pela Liderança do Partido, o vereador Guilherme Sampaio (PT), critica o aumento do valor da tarifa dinâmica dos aplicativos de transporte individual alternativo durante o período de ataques das organizações criminosas à cidade de Fortaleza, no mês de janeiro.

De acordo com o parlamentar, durante aquelas semanas o transporte público da cidade ficou comprometido e os valores dos trajetos oferecidos pelos aplicativos chegou a quintuplicar. “É inadmissível que um serviço de transporte que acabamos de regulamentar utilize-se do desespero da população de Fortaleza para lucrar”, afirma.

Por esse motivo foi protocolado o Projeto de Lei nº 4/2019, que previne a exploração dos consumidores por empresa de aplicativos. A proposta é de que haja a proibição da prática de elevação brusca da tarifa dinâmica quando houver situação de calamidade, paralisação ou redução significativa do transporte público coletivo ou de grave pertubação da ordem pública.

Guilherme explica que o não cumprimento resultaria em multa de R$ 15 mil reais aplicável exclusivamente às empresas responsáveis. O vereador acredita que apresentar uma proposta limitadora da tarifa dinâmica serve para que ela possa funcionar de forma não exploratória. “Se aproveitar do pavor da população para lucrar é também uma forma de violência”, concluiu.