eleições-2016 Política
Eleições 2016

As eleições para a Prefeitura de Fortaleza, prometem ser acirradas em 2016, o Prefeito Roberto Cláudio tenta a reeleição diante de um cenário de nomes e alianças fortes no estado.

Confira os candidatos que homologaram a sua candidatura:

Com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o PT oficializou a candidatura da deputada federal Luizianne Lins à Prefeitura de Fortaleza, na noite de segunda-feira (1º).

O deputado estadual, Capitão Wagner Sousa, 37 anos, foi anunciado candidato à Prefeitura de Fortaleza pelo PR. Ele terá apoio de dois senadores: Tasso Jereissati (PSDB) e Eunício Oliveira (PMDB). O Solidariedade também faz parte da coligação.

O também deputado estadual Heitor Ferrer, 60 anos, vai concorrer à prefeitura pela terceira vez – agora pelo PSB. Ele terá apoio do Rede Sustentabilidade que indicou o candidato a vice.

Outro deputado estadual, Tin Gomes, 55 anos, entra na disputa pela prefeitura pela primeira vez. O candidato recebeu apoio de dois partidos: PMN e PRP.

O vereador de Fortaleza, João Alfredo, 58 anos, foi anunciado candidato do PSOL. O PCB faz parte da coligação.

O deputado federal, Ronaldo Martins, 48 anos, foi confirmado candidato pelo PRB. Sem coligação.

Outro nome confirmado em convenção é o do sindicalista Francisco Gonzaga que concorre pelo PSTU.

Já o atual Prefeito Roberto Cláudio (PDT), vai oficializar a sua candidatura até o dia 5 de agosto, com apoio do Governador do Estado, Camilo Santana.

Eleições 2016

O primeiro turno das eleições municipais de 2016 será realizado em 2 de outubro. O segundo turno, somente em cidades com mais de 200 mil eleitores (Fortaleza e Caucaia), está marcado para 30 de outubro.

De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), os candidatos à Prefeitura de Fortaleza poderão gastar até R$ 12,4 milhões no primeiro turno da disputa e R$ 3,7 milhões em um eventual segundo turno. Já os candidatos a vereador da capital cearense terão limite de R$ 460 mil na campanha.

Este ano, a campanha começará oficialmente em 16 de agosto, ao contrário das eleições de 2014, quando os candidatos podiam pedir votos a partir de 6 de julho. Assim, a duração da campanha eleitoral fica reduzida de 90 para 45 dias. A propaganda no rádio e na TV, por sua vez, começa a ser transmitida em 26 de agosto.