Nesta terça-feira (3), foi divulgado o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro. Os dados, apresentados pelo IBGE, apontam crescimento de 1,2% em relação ao mesmo período do ano passado, e 0,6% em relação ao terceiro trimestre de 2019, chegando a R$ 1,8 trilhão. Os três principais setores que puxaram o aumento, foram Agropecuária, Indústria e Serviços, que apresentaram respectivamente 1,3%, 0,8% e 0,4% de crescimento. Além disso, o 2º trimestre sofreu revisão e subiu para 0,5%. As expectativas do mercado eram de uma elevação em cerca de 0,4%, mas o resultado surpreendeu.

Para Daniela Casabona, Sócia-Diretora da FB Wealth, o cálculo mostra um crescimento ainda pequeno. “O resultado mostra um crescimento ainda bastante tímido da economia do país”, afirma. Casabona relembra que a expectativa era menor ainda, e pontua que o crescimento no setor de serviços foi alavancado pelos serviços financeiros, que apresentaram aumento de 1,2%. “As estimativas apontavam pra um crescimento total de aproximadamente 0,4% no trimestre, dentro disso, é importante ressaltar que os serviços financeiros foram fator crucial para o crescimento no setor de serviços”.

Pedro Paulo Silveira, Economista-Chefe da Nova Futura Investimentos, afirma que as expectativas dos próximos trimestres devem ser revisadas para cima, já que o resultado atual foi uma surpresa positiva. “PIB do 3º trimestre veio com uma surpresa positiva, saindo no topo das expectativas. As previsões para 2019 e 2020 devem ser revisadas para cima”. Silveira pontua que o crescimento divulgado mostra o crescimento moderado por parte do setor privado. “O cálculo confirma a tendência de recuperação moderada sustentada pelo setor privado, a despeito da fraqueza do setor público e do setor externo”, pontua.

Fernando Bergallo, Diretor de Câmbio da FB Capital, afirma que o cálculo mostra sinais de uma recuperação para a economia do país. “É um resultado bom, que mostra que nossa economia começa a dar sinais concretos de recuperação, e começa a ganhar tração depois de um longo período de estagnação”. Bergallo ressalta que apesar das questões desfavoráveis, os ajustes têm mostrado resultados. “Embora ainda persista um cenário externo desfavorável, e um ambiente de relativa incerteza na política, podemos notar que os ajustes promovidos pelos últimos dois governos, começam a refletir positivamente na economia, principalmente as medidas do final do Governo Temer”.

Para Jefferson Laatus, Estrategista-Chefe do Grupo Laatus, o resultado demonstra que a economia do país está sendo retomada. “Com o resultado, o dólar acabou recuando um pouco mais, o Ibovespa segue positivo, e isso mostra que a economia está caminhando para uma recuperação”. As exportações apresentaram crescimento de 13%, o que para Laatus é um motivo de comemoração. “As exportações estão fortes e agora o país tem uma renda muito mais alta sobre isso, é um motivo para comemorar”. O Estrategista-Chefe, pontua que há grandes expectativas para o próximo trimestre, já que o cálculo do último foi positivo. “A surpresa do resultado é importante, se este trimestre já apresentou um bom resultado, significa que o próximo deve ser ainda melhor”, finaliza.