Foto: Divulgação

A operação foi realizada, na última terça-feira (12), em Fortaleza, no interior do Estado e no Maranhão. Entre os presos, estão dois policiais militares. A ação policial contou ainda com o apoio dos departamentos de Polícia do Interior Norte e Sul e da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core) da PCCE. O trabalho policial foi apresentado em coletiva de imprensa, quarta sexta-feira (13), realizada na sede do DHPP, no bairro de Fátima, em Fortaleza.

Conforme as investigações desenvolvidas pelo DHPP, os presos são envolvidos em uma briga entre duas famílias. Conforme o delegado Márcio Lopes, responsável pelas investigações, os crimes entre as famílias iniciaram em 1999, quando houve uma intervenção policial. “De lá pra cá, vem se arrastando homicídios, tentativas de homicídios e ameaças. Entre os crimes investigados contra os presos, estão dois ocorridos em 2018 e outros dois ocorridos este ano. Todos os crimes ocorreram na região de Quixadá e Banabuiú, no Sertão Central do Estado”, explicou o delegado.

O delegado explicou ainda que toda a operação iniciou-se após uma investigação complexa referente a crimes de homicídios. As prisões, realizadas nessa ofensiva, miraram membros de uma mesma família e foram realizadas em Banabuiú, Fortaleza, Quixadá e em Balsas, no Maranhão.

No total, a Polícia Civil apreendeu dez armas – sendo um fuzil, duas pistolas, três revólveres, uma carabina e três escopetas – além de mais de mil munições de calibres variados, a quantia de R$ 7,8 mil e um veículo Toyota Hilux. Todo o material e os presos foram conduzidos para a sede do DHPP, onde foram ouvidos e, em seguida, encaminhados aos respectivos locais de custódia. A Polícia Civil mantêm as investigações a fim de esclarecer outros crimes em que o grupo possa estar envolvido.