Nas últimas semanas fomos tomados por notícias diversas sobre a pandemia que tem preocupado o mundo. Com o cenário cada vez mais incerto, a recomendação da OMS – Organização Mundial da Saúde é uma só: o isolamento social.

Por isso, muitos setores precisaram se reinventar para enfrentar uma crise que já dura meses.  O segmento de eventos é, sem dúvidas, um dos principais afetados. O mercado de casamentos está em constante transformação: atendimentos passaram a ser unicamente online, produtos e serviços têm apostado na tecnologia como a principal saída.

Só na plataforma iCasei, pioneira no Brasil em site de casamento e lista virtual de presentes, foram mais de 3.500 eventos adiados desde março.

Pesquisa inédita

Em levantamento exclusivo, o iCasei avalia os impactos do coronavírus no país no mercado de casamentos.

A pesquisa aconteceu no período 23 a 30 de abril e teve 1.681 participantes. Destes, 61% responderam que tiveram que adiar a data do casamento, 32% não precisaram adiar ou ainda estão aguardando um pouco mais para tomar uma decisão. Para as remarcações, os meses de setembro e outubro são os favoritos. Somente 2,66% dos respondentes cancelaram o evento e não têm planos para retomar.

Entre os motivos citados para o adiamento, são os principais: impossibilidade de realização do evento por conta da quarentena, dificuldade financeira e emocional em seguir com o planejamento.

Para os noivos que estão refazendo o planejamento do casamento para uma nova data, a principal dificuldade tem sido conciliar datas entre fornecedores.