Com cores, música e irreverência, a folia do carnaval é motivo de desejo por muitos brasileiros após a virada do ano. Data mais celebrada no Brasil, reúne milhares de pessoas nas ruas e, consequentemente, gera um contato físico maior durante os dias de feriado. E é aí que vem um alerta para o cuidado com a saúde e a prevenção de doenças que são ainda mais proliferadas no período, mas podem ser evitadas.

Para o Dr. Thiago Sampaio Camargo, médico infectologista do Hospital Israelita Albert Einstein e especialista parceiro da Care Plus, há cuidados que podem ser tomados ao longo do ano, a fim de evitar doenças contagiosas, além de visitas frequentes ao médico.

 

Confira abaixo a lista de doenças mais comuns e saiba como evitá-las, de acordo com informações do Ministério da Saúde.

Sífilis

Segundo o Ministério da Saúde, houve um forte aumento nos registros de casos de sífilis no Brasil. Entre 2010 e 2018, a taxa de infecção da doença aumentou de 2,1 para 75,8 casos a cada 100 mil pessoas. A sífilis é uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST) curável e exclusiva do ser humano. Pode apresentar várias manifestações clínicas e diferentes estágios (sífilis primária, secundária, latente e terciária). Nos estágios primário e secundário da infecção, a possibilidade de transmissão é maior. A sífilis pode ser transmitida por relação sexual sem camisinha com uma pessoa infectada ou para a criança durante a gestação ou parto.

Como se prevenir?

O uso correto e regular da camisinha feminina e/ou masculina é a medida mais importante de prevenção da sífilis, por se tratar de uma Infecção Sexualmente Transmissível. O acompanhamento das gestantes e parcerias sexuais durante o pré-natal de qualidade também contribui para o controle da sífilis congênita.

Herpes e mononucleose (Doença do Beijo)

Muito comum no carnaval, a mononucleose infecciosa, conhecida como doença do beijo, é uma síndrome com maior índice de incidência em pessoas de 15 a 25 anos de idade. Da família dos herpes, também pode ser contraída através de tosse, espirro e objetos levados à boca, como copos e talheres. Os sintomas frequentes e progressivos são dor de garganta, febre, calafrio, inchaço dos gânglios (ínguas), fadiga, mal-estar e sudorese.

Como se prevenir?

Como a doença é transmitida pelo beijo, a principal dica para prevenção é evitar o contato com pessoas infectadas e sempre higienizar as mãos.

Conjuntivite

Conjuntivite é a inflamação da conjuntiva, membrana transparente e fina que reveste a parte da frente do globo ocular (o branco dos olhos) e o interior das pálpebras. Em geral, ataca os dois olhos, pode durar de uma semana a 15 dias e não costuma deixar sequelas. Ela pode ser aguda ou crônica, afetar um dos olhos ou os dois. A conjuntivite pode ser causada por reações alérgicas a poluentes ou substâncias irritantes (poluição, fumaça, cloro de piscinas, produtos de limpeza ou de maquiagem, etc.).

Como se prevenir?

Evitar aglomerações ou frequentar piscinas de academias ou clubes; lavar com frequência o rosto e as mãos, uma vez que estes são veículos importantes para a transmissão de micro-organismos patogênicos. Não coçar os olhos e usar toalhas de papel para enxugar o rosto e as mãos, ou lavar todos os dias as toalhas de tecido.

Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs)

Transmitidas, principalmente, por contato sexual sem o uso de camisinha com uma pessoa que esteja infectada, geralmente se manifestam por meio de feridas, corrimentos, bolhas ou verrugas. No período carnavalesco, comumente esses cuidados são esquecidos, o que facilita a transmissão dessas doenças.

Dados do último boletim epidemiológico do HIV/Aids mostram que 73% dos novos casos de HIV em 2017 ocorreram no sexo masculino. Um em cada cinco novos casos de HIV estão entre homens de 15 a 24 anos (2017). Entre homens na faixa etária de 20 a 24 anos a taxa de detecção de aids cresceu 133% entre 2007 a 2017, passando de 15,6 para 36,2.

Como se prevenir?

Uma das maneiras mais eficazes de se prevenir contra as ISTs é fazer exames regulares. Inúmeros exames são sugeridos para as mais diversas formas de ISTs e com regularidades diferentes. Usar preservativos em todas as relações sexuais é o método mais eficaz para a redução do risco de transmissão.

Gastroenterite (infecção intestinal)

Gastroenterite é uma inflamação do trato gastrointestinal que afeta o estômago e o intestino delgado. Os sintomas mais comuns são diarreia, vômitos e dor abdominal. Outros possíveis sintomas incluem febre, falta de energia e desidratação.

Como se prevenir?

No carnaval, a preocupação com a alimentação deve ser levada em conta. A infecção intestinal é muito comum quando são ingeridos produtos de procedência não identificada. Por isso, é importante dar preferência a restaurantes conhecidos e lavar as mãos após ir ao banheiro. É essencial evitar consumir carnes e ovos malpassados e beber muita água, de origem confiável.