A JBS vai doar R$ 12,7 milhões para o enfrentamento do coronavírus no Ceará. Os recursos serão destinados a ações de saúde pública, social e apoio à ciência, viabilizando a construção de hospitais modulares (permanentes), compra de equipamentos de proteção individual (EPIs), equipamentos de saúde, cestas básicas e de higiene e limpeza, entre outros. Todas as iniciativas serão auditadas pela Grant Thornton, consultoria global com mais de 100 anos no mercado, que abriu mão de seus honorários para contribuir com o programa social.

A JBS emprega cerca de 500 pessoas no Ceará. As doações serão destinadas ao estado (R$ 10 milhões) e a duas cidades cearenses (R$ 2,7 milhões), beneficiando direta ou indiretamente uma população de quase 3 milhões de pessoas.

“Temos uma história de compromisso com o Brasil há mais de 65 anos. Seguimos inteiramente dedicados ao país e aos brasileiros no enfrentamento dessa pandemia”, ressalta Wesley Batista Filho, presidente da JBS na América do Sul e presidente da Seara. “Toda a doação será apoiada por comitês consultivos, formados por membros independentes para garantir a melhor execução do projeto e contará com toda nossa estrutura e capilaridade para fazer a doação chegar a quem mais precisa”, completa o executivo.

Esforço Nacional

“Essa doação está inteiramente dedicada ao enfrentamento da Covid-19. Estamos em meio a uma crise sem precedentes no mundo, e enfrentá-la requer o envolvimento de todos. Estou muito confiante em que esse projeto fará muita diferença na vida de milhões de pessoas nesse momento tão desafiador para nossa sociedade”, afirma Gilberto Tomazoni, CEO da JBS.

As doações no Ceará integram um esforço nacional da JBS de enfrentamento à covid-19. Ao todo, a empresa vai doar R$ 400 milhões a 17 unidades da federação e 162 cidades. Para além das parcerias com o setor público, o plano de doações inclui a doação de R$ 20 milhões a 50 organizações sociais sem fins lucrativos com trabalhos específicos de assistência à população carente e vulnerável e a destinação de R$ 50 milhões a entidades de pesquisa e tecnologia no país com foco em estudos na área de saúde.

“O Brasil tem situações e necessidades muito específicas em suas diferentes regiões e faremos a destinação dos recursos de acordo com as demandas dos estados e municípios sempre com foco em saúde, assistência social e ciência”, esclarece Joanita Karoleski, Coordenadora do projeto “Fazer o Bem Faz Bem”.

A JBS representa a principal atividade econômica em 56% dos municípios em que tem fábrica. Suas operações formam uma rede de 130 mil colaboradores diretos, 35 mil fornecedores de gado, 10 mil produtores no segmento de aves e suínos e 400 mil parceiros comerciais. “Essa doação vem se somar ao nosso compromisso diário em levar uma vida melhor e o alimento a milhões de famílias no mundo”, ressalta Wesley Filho.