O comércio de Fortaleza estará aberto na segunda-feira, 12, quando é comemorado o Dia de Nossa Senhora Aparecida e Dia das Crianças. As lojas do Centro vão funcionar normalmente de 9h às 17h e os shoppings centers de 10h às 22h.

A decisão sobre a abertura do comércio foi acertada entre os trabalhadores e os lojistas, que apostam em um aquecimento das vendas nesses últimos meses do ano. O funcionamento ocorrerá em acordo com a Convenção Coletiva dos Comerciários 2019/2020.

Segundo Assis Cavalcante, presidente da CDL de Fortaleza, a abertura foi uma solicitação dos empresários, antes mesmo da pandemia, no sentido de modernizar o trabalho do comércio tradicional de rua.  “Definimos o trabalho nesses feriados antes da pandemia e agora, neste momento de retomada do comércio, a decisão nos parece muito bem-vinda para ajudar na movimentação da economia”, afirmou.

PESQUISA

Mesmo em meio a um cenário econômico desafiador, 72% dos consumidores devem ir às compras. É o que revela pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pela Offer Wise em todas as capitais. A expectativa é de que o varejo movimente aproximadamente R$ 10,87 bilhões.

Assis Cavalcante destaca que o Dia das Crianças é uma data importante para o comércio, ainda mais nesse momento diferenciado, porque, além de gerar vendas, possibilita entender as tendências das compras de final de ano.

“Os dados de intenção de compra servem de termômetro para o fim de ano, ao trazer as primeiras impressões do que deve acontecer no Natal. Além disso, o varejista, que esteve boa parte do ano de portas fechadas, conta com as vendas do Dia das Crianças neste momento de retomada econômica”, afirma Cavalcante.

Ainda de acordo com o levantamento da CNDL, os produtos mais visados neste Dia das Crianças serão as roupas e calçados (38%), bonecos/bonecas (33%) e os jogos de tabuleiro/educativos (28%). O gasto médio deve ser de R$ 209,33 com os presentes na data, valor parecido à intenção de compras da pesquisa de 2019 (R$ 198,79).

Os locais de compra mais citados pelos entrevistados são a internet/lojas virtuais (34%), o shopping-center (31%) e as lojas de rua/bairro (24%). Considerando aqueles que realizarão suas compras na internet, 79% vão utilizar sites, 54% os aplicativos e 20% o WhatsApp.

O presidente da CDL de Fortaleza ressalta a importância de os varejistas adaptarem os atendimentos e vendas aos canais virtuais. “Um sistema de entrega eficiente pode ser uma grande força no aumento das vendas das lojas de bairro e shoppings, sobretudo do pequeno e médio varejo”, afirma Assis Cavalcante.