Fortaleza segue dando novos passos para se tornar mais segura e caminhável. A partir desta quarta-feira (18/08), a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) inicia a implantação de uma nova calçava viva, com direito à “Amarelinha”, na Av. da Universidade, em frente ao Centro de Humanidades da Universidade Federal do Ceará (UFC). A via também será contemplada com ciclofaixa unidirecional de 1,5 km de extensão no bairro Benfica.

Situada na Av. da Universidade, entre a Rua Padre Cícero e Av. Domingos Olímpio, a ciclofaixa atende a uma região universitária onde se concentra um grande volume de pessoas utilizando a bicicleta como meio de transporte, além de ser um eixo viário bastante importante de deslocamento de pessoas até o Centro da cidade.

Segundo o Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento (ITDP Brasil), Fortaleza é a capital brasileira onde as pessoas vivem mais próximas à infraestrutura cicloviária, com mais de 50% dos habitantes morando a menos de 300 metros de alguma ciclovia, ciclofaixa, ciclorrota ou passeio compartilhada.

Nova velocidade

Como parte do projeto que prioriza segurança viária, a Av. da Universidade também terá a sinalização renovada com 50 km/h, entre as ruas Padre Cícero e Antônio Pompeu. O objetivo é reduzir acidentes com alta taxa de severidade.

Será dado um período educativo de seis meses após a conclusão da sinalização para os motoristas se adaptarem à mudança. Educativos do órgão realizarão ainda um trabalho de conscientização no trecho.

Diariamente, costumam trafegar na via cerca de 22 mil veículos. De 2015 a 2020, foram registrados 793 acidentes, sendo 524 com vítimas e 71 atropelamentos. 16 pessoas perderam a vida neste período e metade era pedestre.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a velocidade excessiva é o fator de risco que mais causa acidentes, responsável por uma em cada três mortes por sinistros em todo o mundo.

Conforme a instituição, a velocidade elevada provoca um efeito de afunilamento no campo visual do condutor, prejudicando a percepção de pedestres e outros obstáculos nas ruas. Sem conseguir uma clara imagem do que está ao seu redor, o motorista eleva as chances de um atropelamento ou acidente em geral.