Foto: Divulgação

Com a virada do ano, chega ao fim o ciclo festivo, que pode representar um descanso ao organismo. Janeiro é o mês eleito como preferido por quem pretende apostar no detox, limpando e desintoxicando o fígado, sentindo a necessidade após um Natal e réveillon com bebidas e desregulada na dieta.

O uso de ingredientes com origem vegetal, mineral ou animal pode ajudar no reequilíbrio de forma gradual. A prática de exercício físico, por sua vez, pode auxiliar na autorregulação do corpo. Alguns dos sintomas associados aos excessos alimentares são dores de estômago, vômitos, enjoos, azia e sensação de enfartamento que resistem durante dias.

Diante dessa situação, o médico Sandro Marjorie, especialista em medicina tradicional chinesa, ressalta que é prioridade para o bom funcionamento do intestino uma desintoxicação saudável para o corpo. “Nosso sistema orgânico e energético sempre tenderá ao desequilíbrio, pois determinados vícios alimentares das festas de fim de ano, acaba por desregular nosso corpo, atrapalhando o livre fluxo dos meridianos ou canais energéticos e segundo os chineses, isso representa estagnação nos órgãos também”, frisa. A acupuntura também é um método que pode ser trabalhado para aliviar os sintomas no corpo.

Recomendações

Bons hábitos alimentares são indispensáveis para manter em perfeito estado o fígado, que é o órgão do corpo responsável naturalmente pela detoxificação. Além disso, o médico Sandro Marjorie recomenda  entrar em uma rotina imediata de atividade física aeróbica, dormir entre 07 e 8h e a utilização de chás e infusões de ação depurativa e detox, a exemplo do gengibre, hibisco, hortelã, boldo, o famoso Matcha (chá verde japonês), dentre outros. “Claro que dentro de uma perspectiva responsável de não exagerar nas doses, só porque é natural, não faz mal? Aconselho sempre cautela e acompanhamento profissional para uso correto, mesmo dos chás”, observa.

Além de enxugar a silhueta

A prática da desintoxicação também pode ser um forte aliado permanente para uma vida saudável, indo além do desejo de apenas enxugar a silhueta. De acordo com Sandro, entre outros sintomas do corpo intoxicado estão irritabilidade, mau humor, insônia ou sonolência excessiva, alergias de pele e indigestão.

Para isso, o especialista aconselha o paciente a se dedicar em uma rotina alimentar individual. “Um ano novo representa páginas em branco para uma nova fase ser escrita. Ninguém deseja iniciar as primeiras folhas dessa jornada com mau humor, irritabilidade, nem nada do tipo. Por isso, a necessidade de alinhar seu corpo aos seus objetivos para a longa caminhada”, aconselha o especialista.