Estelionatários são presos com o auxílio do reconhecimento facial

Mais uma vez o reconhecimento facial da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) ajudou na identificação de um homem que apresentou documentos falsos à Polícia Militar do Ceará, nessa terça-feira (12). O fato ocorreu após uma informação repassada à viatura da SSPDS acerca de uma dupla suspeita de estelionato, no bairro Farias Brito, em Fortaleza.

Durante um patrulhamento pela região, a viatura da PMCE, lotada na Secretaria da Segurança Pública, foi avisada por populares acerca de um veículo em fuga que era conduzido por um suposto estelionatário. De imediato, a viatura seguiu o automóvel e abordou o seu condutor. Após verificar o nome do homem de 40 anos, a equipe constatou que se tratava de um soldado da reserva da Polícia Militar. Contra ele, havia um mandado de prisão preventiva oriundo de Comarca de Paraipaba, por homicídio, além de passagens pela por roubo, estelionato e receptação.

Após essa primeira captura, os profissionais de segurança foram até um cartório da região, onde localizaram o segundo envolvido na ação criminosa. Na abordagem, ele apresentou um documento falso. Desconfiando sobre a identificação apresentada, os policiais militares tiraram uma foto do homem pelo smartphone e utilizaram o reconhecimento facial da SSPDS. Com isso, a ferramenta chegou ao nome verdadeiro do criminoso, que já possuía passagens pela Polícia por receptação, falsificação de documento público, uso de documento falso e porte ilegal de arma de fogo.

De acordo com as informações colhidas no local, os homens tentaram aplicar um golpe na venda de uma casa, que não pertencia à dupla. Inclusive, ao perceber que se tratava de uma fraude, as vítimas acionaram a PMCE para prender os estelionatários, que já estavam no cartório para realizar as tratativas referentes ao imóvel. Os dois foram encaminhados à Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciário (CGD), onde foram autuados em flagrante por tentativa de estelionato e associação criminosa. O suspeito identificado pelo reconhecimento facial foi indiciado ainda por uso de documento fal