emprego
Foto: Reprodução

O Sistema Nacional de Emprego (Sine) encaminhou 32,5 milhões de pessoas para o mercado de trabalho nos últimos seis anos. Em primeiro lugar no ranking das profissões mais intermediadas pelo serviço está o alimentador de linha de produção, com 3,3 milhões de trabalhadores. O Ministério do Trabalho assinou, a partir de 2012, Convênios Plurianuais do Sine (CPSINE) com estados e municípios para executar ações, medida que possibilitou ampliar a rede de atendimento presencial.

Das dez profissões mais encaminhadas destacam-se também de faxineiro (2.495.202), vendedor de comércio varejista (2.407.399), operador de caixa (1.265.155), auxiliar nos serviços de alimentação (1.245.632), auxiliar de escritório em geral (1.121.495), repositor de mercadorias (881.993), servente de obras (869.319), operador de telemarketing ativo e receptivo (858.501), trabalhador da manutenção de edificações (765.369). Essas ocupações representaram 50% de todos os encaminhamentos realizados pelo sistema nos últimos seis anos, um total de 15,2 milhões de intermediações.

Mesmo em menor número, profissionais com mais escolaridade também conseguiram trabalho por meio da intermediação do Sine. Entre as 10 profissões com ensino superior mais encaminhadas para oportunidades de trabalho estão vendedor de comércio varejista (105.593), enfermeiro (11.899), nutricionista (11.609), analista de Recursos Humanos (9.952), nutricionista (5.595), contador (2.533), médico clínico (1.999) e fisioterapeuta geral (1.720).

As vagas mais intermediadas coincidem com as mais ofertadas pelas empresas no sistema. No período analisado, foram 5,6 milhões de vagas oferecidas. As cinco mais disponibilizadas: alimentador de linha de produção (1.188.737), faxineiro (875.221), vendedor varejista (786.792), operador de telemarketing receptivo (456.706) e operador de caixa (426.925).