O Ministério Público Federal no Ceará (MPF/CE) informou que recebeu relatório da Polícia Federal (PF) constatando que as provas do primeiro e do segundo dia do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), além da prova da redação, vazaram para pelo menos dois candidatos antes do início do teste.

O Enem foi aplicado nos dias 5 e 6 de novembro para 5,8 milhões de candidatos em todo o país.

Por meio do procurador da República, Oscar Costa Filho, o Ministério Público Federal do Ceará (MPF­CE), vai pedir a suspensão de todas as avaliações do Enem. Durante a manhã desta quinta-feira (1º), o relatório da Polícia Federal concluiu que as provas do exame foram vazadas.

Conforme Oscar, o pedido será uma extensão da suspensão da redação para todas as provas objetivas. No entanto, esse novo recurso será protocolado depois do julgamento da ação civil pública e pedido adicional relativos ao Enem e solicitados anteriormente.

No entanto, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) afirmou que não há indícios de vazamentos das provas do Enem e que não cancelará as provas já realizadas. O órgão afirmou que as punições se restringirá aos envolvidos nos casos de tentativas isoladas de fraude.

No dia 6 de novembro, segundo dia do exame, policiais federais prenderam candidatos no Ceará e no Amapá, ambos utilizando pontos eletrônicos, por onde eram passadas as respostas das provas. De acordo com o MPF, o texto final da PF aponta que há convicção de que houve estelionato qualificado nos dias em que foram realizadas as provas.

Ainda segundo o MPF, os candidatos receberam fotografias das provas e tiveram acesso aos gabaritos e ao tema da redação antes do início do exame.