Foto: Reprodução

A Prefeitura de Fortaleza apresentou, nesta quarta-feira (16/09), durante coletiva de imprensa, os resultados referentes ao ano de 2019 do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) da Rede Municipal de Ensino. Nesta edição da avaliação, a Cidade se destacou como 5º lugar entre as capitais com a melhor média nos anos iniciais (do 1º ao 5º ano) e 4º lugar nos anos finais (do 6º ao 9º ano), além de estar acima da média geral brasileira e de todas as regiões do País.

O IDEB é considerado o principal indicador de qualidade da Educação brasileira para o monitoramento das escolas e das redes de ensino. A variação é de 0 a 10, sendo o 5 já considerado nível de qualidade para garantir a educação dos estudantes. A avaliação bienal em leitura e matemática dos mais de 230 mil alunos de Fortaleza teve médias gerais de 6,2 nos anos iniciais e 5,2 nos anos finais. A taxa de aprovação é verificada a partir do Censo Escolar.

“Quero enviar a nossa gratidão e o nosso respeito pelo extraordinário trabalho realizado ao longo destes oito anos. Toda essa transformação aconteceu graças a um grande pacto que foi feito para entender que a educação deve ser a maior prioridade, principalmente em uma cidade desigual. É o banco da escola pública garantindo aula, aprendizagem, alimentação e autoestima dessas crianças que vai fazer com que a realidade da nossa cidade mude”, declarou o prefeito Roberto Cláudio.

A secretária municipal da Educação, Dalila Saldanha, ressaltou que os resultados mostrados são uma prestação de contas pelo trabalho realizado. “Avançamos muito ao longo destes anos e assumimos o compromisso de tudo que ainda temos a fazer. Além do sentimento de crescimento e gratidão, é a certeza de que estamos trabalhando cada vez mais para melhorar a educação do nosso Município”, disse.

Anos iniciais

Em relação aos anos iniciais, do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental, Fortaleza ultrapassou as metas projetadas para o IDEB. Os índices estão em constante crescente e a partir de 2015, ultrapassou o nível 5. Em 2019, atingiu a média de 6,2. De acordo com Dalila Saldanha, muitas escolas também já superaram a média 7, o que demonstra um maior crescimento.

Houve um salto da 20ª posição, em 2005, para a atual 5ª posição em 2019, colocando Fortaleza entre as melhores cidades do Brasil, e a média está empatada com Curitiba. Entre as quatro maiores redes de ensino público do País, aquelas que possuem mais de 200 mil estudantes (ou seja, fora São Paulo, Rio de Janeiro e Manaus), Fortaleza ocupa atualmente o melhor índice da avaliação.

Com a média 6,2, Fortaleza ficou próxima da média do Ceará, de 6,3, e acima da média brasileira, de 5,7, o que conforme a Secretária de Educação, indica que a política do Estado é referência para o País e Fortaleza é um claro exemplo disso. A média do IDEB na Capital está, ainda, acima ou empatada com a média de todas as regiões do país, sendo Norte 5,0, Nordeste 5,2, Sudeste 6,2, Centro-Oeste 5,9 e Sul 6,2.

No total, foram 191 escolas dos anos iniciais avaliadas, das quais mais de 93% superaram as metas em 2019, o que também representa mais de 98% dos alunos, apontando um padrão de desempenho de qualidade dos estudantes.

Anos finais

Por sua vez, nos anos finais, 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental, as metas projetadas que já eram atingidas continuaram a crescer. Em 2007, possuía nota 2,7 e em 2019 atingiu a média 5,2, e saltou da 17ª posição em 2005 para o atual o 4º lugar entre as capitais do País.

Comparada com as quatro maiores redes de ensino, está a frente de São Paulo, Rio de Janeiro e Manaus. Em relação com as 10 maiores do Brasil, Fortaleza está empatada com Curitiba. Das 124 escolas avaliadas, 89,5% superaram a meta estabelecida, o que é considerada uma boa representatividade de um padrão de desempenho positivo em toda a Cidade.

O comportamento dos anos finais também é semelhante aos anos iniciais em relação às médias gerais. Fortaleza possui a mesma média do estado do Ceará, 5,2, e está acima da nota brasileira, que é de 4,6.

A Capital Cearense também está acima de todas as regiões, sendo 4,2 o Norte, 4,2 o Nordeste, 4,8 o Sudeste, 4,9 o Centro-Oeste e 4,9 o Sul.

Estratégias

A secretária Dalila Saldanha destacou estratégias adotadas pela gestão que influenciaram na evolução dos índices do IDEB ao longo dos anos. A primeira delas é o acompanhamento da frequência do aluno, duas vezes por dia, por meio do Sistema de Busca Ativa. A escola entra em contato com a família em caso de falta, de modo a garantir que os estudantes concluam o curso escolar.

Outro ponto apresentado foi o projeto pedagógico estimulante e inovador, com um currículo que envolve os alunos e proporciona experiências lúdicas. Dentro desse projeto, estão as iniciativas do Diretor de Turma e o Projeto de Vida, além de momentos de afetividade e fortalecimento de vínculos.

Na jornada ampliada por meio do programa Aprender Mais, o aluno tem aula no contraturno para consolidar habilidades e competências exigidas para a série que está cursando. “Fortaleza não tinha nenhuma Escola de Tempo Integral, e são elas que têm os melhores resultados no IDEB. Atualmente, temos 49,4% das matrículas de crianças e jovens no contraturno”, explicou Dalila.

Outra questão de sucesso é o foco na aprendizagem e desenvolvimento integral para promover uma escola onde crianças e jovens se sintam parte integrante delas.

Em relação à equipe pedagógica, é realizada uma atuação integrada, de modo a formar uma equipe de trabalho coesa com profissionais que atuam na mesma direção, contando com a participação da Coordenação, docentes, Distritos de Educação e equipe técnica da Secretaria Municipal da Educação (SME). Além disso, há um diálogo permanente com a entidade representativa da categoria dos professores.

Finalmente, são firmadas parcerias institucionais e com a comunidade escolar, essenciais para o bom desempenho dos alunos no acompanhamento das atividades de casa e para a garantia da assiduidade.