Foto: Banco de Imagens

Em junho, as vendas no comércio varejista cresceram 8% em relação a maio. É o que indica a Pesquisa Mensal do Comércio, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada nesta quarta -feira (12). O comércio varejista está relacionado à venda de produtos ou a comercialização de serviços em pequenas quantidades, ao contrário do que acontece na venda por atacado.

É o segundo mês seguido de crescimento no comércio varejista. Em maio, o aumento, em relação a abril, foi de 14,4%. Houve um crescimento de 0,9% no trimestre encerrado em junho . Já o acumulado nos últimos 12 meses foi 0,1%.

Os resultados mostram, segundo o IBGE, que o impacto com a pandemia do coronavírus vem sendo menor. “Pelo segundo mês consecutivo, os resultados mostraram um menor impacto no comércio do quadro de isolamento social devido à atual pandemia de Covid-19”, disse o gerente da pesquisa, Cristiano Santos.

No comércio varejista ampliado , que inclui veículos, motos, partes e peças e de Material de construção, o volume de vendas cresceu 12,6% em relação a maio, enquanto a média móvel do trimestre foi 3,9%.

Do total de empresas que participaram da pesquisa, 12,9% relataram impacto em suas receitas em junho por conta das medidas de isolamento social. O número, no entanto, é 5,2 pontos percentuais abaixo do registrado em maio, e 15,2 pontos percentuais em relação a abril.

“É bom lembrar que o mês de abril foi o mês de maior queda com recordes históricos na maioria dos setores, todos no campo negativo”, acrescentou Cristiano Santos.

As vendas cresceram em 24 das 27 Unidades da Federação, com destaque para: Pará (39,1%), Amazonas (35,5%) e Ceará (29,3%). Pressionando negativamente, estão Rio Grande do Sul (-9,0%), Paraíba (-2,4%) e Mato Grosso (-2%).