Foto: Thiago Gaspar

Nesta segunda e terça-feira (15 e 16/02), período em que tradicionalmente se celebraria o carnaval, estabelecimentos comerciais de Fortaleza seguem funcionando em regime especial. As lojas do Centro da Cidade estarão abertas das 9h às 17h, enquanto as dos shoppings da Capital seguirão até 20h. A suspensão do feriado, prevista em decretos municipal e estadual, compõe as ações propostas para o enfrentamento à Covid-19.

No início da manhã, durante a abertura das lojas do Centro da Cidade, apesar da movimentação tranquila, comerciantes apresentaram-se otimistas. Diante de um período de recessão econômica, a medida intensificou a esperança de Edson Barroso, proprietário de uma livraria instalada nas imediações da Praça do Ferreira. “A segunda-feira está apenas começando, mas já percebi um movimento razoável. Se nós conseguirmos faturar 50% do habitual, já será um impacto positivo. A oportunidade está vindo em excelente hora para quem quer trabalhar e correr atrás do prejuízo”, avaliou.

Para assegurar o cumprimento das medidas sanitárias estabelecidas, a exemplo do combate às aglomerações, equipes da Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis) trabalham no local.

Dalila Almeida, sócia-proprietária de uma distribuidora de ração, estimou um impacto positivo em suas vendas e reiterou a importância do cumprimento das normas decretadas.

“Este é um momento de disciplina e consciência. As autoridades estão atuando para conter o avanço do vírus. Então, precisamos trabalhar de forma responsável e aproveitar para vender mais. Evitando aglomerações, conseguiremos reverter esse quadro o quanto antes. Teremos muitos carnavais pela frente”, declarou.

Frequentador assíduo do Centro da Cidade, o aposentado Francisco Dilberto registrou as suas impressões. “Em um momento de pandemia, aglomerar não é a solução. Não faz sentido ter festa agora. O Centro aberto pela primeira vez no carnaval em quase 90 anos mostra como esse momento é diferenciado. A saída é vir rapidamente, resolver o que tiver que ser resolvido e voltar para casa. Com responsabilidade, vamos sair dessa”, pontuou.