Com deflação de 0,52% em maio, IPCA registra menor índice em 21 anos

O maior impacto negativo do índice neste mês veio do grupo Transportes (-2,41%), puxado principalmente pela queda no preço dos combustíveis (-6,22%). “A gasolina é o principal subitem em termos de peso dentro do IPCA e, caindo 6,41%, acabou puxando o resultado dos transportes para baixo, assim como as passagens aéreas, que tiveram uma queda de 26,88% e foram a segunda maior contribuição negativa no IPCA de maio”, explica Helder Rocha, Supervisor da Disseminação das Pesquisas no Ceará.