O câncer de pele é responsável por 30% de todos os tumores malignos do Brasil e acomete, em média, mais de 165 mil brasileiros todos os anos, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca). A doença se for diagnosticada em estágios iniciais tem 100% de cura, de acordo com dados do Hospital do Câncer de Barretos.

Desde 2014, a Sociedade Brasileira de Dermatologia promove o Dezembro Laranja – ação que faz parte da Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer da Pele. Desde então, sempre no último mês do ano, são realizadas diferentes ações em parceria com instituições públicas e privadas para informar a população sobre as principais formas de prevenção, além do incentivo para diagnóstico precoce e tratamento.

Listamos 5 curiosidades da doença:

1.  Nem todos os filtros solares te protegem
Alguns filtro solares não excluem totalmente os riscos da exposição ao sol. De acordo com especialistas, muitos produtos não oferecem a proteção completa de raios UV-B e UV-A. O ideal é verificar o rótulo do protetor, se confere a proteção na pele, e aplicá-lo a cada duas horas para manter a proteção do sol.

  1. Doença que afeta mais homens 

Existem três tipos de câncer de pele: o carcinoma basocelular, o carcinoma espinocelular e o melanoma. O melanoma é considerado o mais perigoso e mata 70% mais homens do que mulheres, mesmo os dois sexos desenvolvendo a doença de forma similar. A predominância é maior nos homens pelo fato de ignorarem avisos de proteção relacionados à protetor solar e bonés  é na região do tronco.

  1. Medicina Nuclear ajuda no tratamento 

Para o tratamento, existem métodos utilizados em Medicina Nuclear que  detecta lesões do melanoma antes das alterações anatômicas e permitem tratamento mais eficaz da doença. “Poucos sabem, mas a medicina nuclear já é aplicada no Brasil e possui diversos exames.”, explica o médico nuclear e vice-presidente da Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear, Dr. George Barberio Coura Filho – médico responsável da Dimen SP (www.dimen.com.br). Atualmente, a Medicina Nuclear já conta com dois exames que identificam as metástases provocadas pelo melanoma antes das alterações anatômicas, ou seja, antes que elas estejam visíveis.

  1. A cura para doença existe 

A cura a partir dos exames vai depender muito do tipo de câncer que a pessoa possui. Porém, é sempre recomendado fazer um diagnóstico precoce em casos de sintomas. Em alguns casos a cura chega a ser de 100%. A dica principal é buscar ajuda de um especialista logo que algo anormal seja notado.

  1. Raios solares envelhecem mais a pele 

O excesso de exposição solar, e principalmente a falta de proteção solar, é a principal causadora do envelhecimento da pele. Com a exposição excessiva, aparecem então, manchas, sardas, flacidez, pele áspera, aumento das rugas e, em alguns casos, câncer de pele.