carro-prf Cotidiano
Foto: Redes Sociais

A especulação sobre o uso de radares móveis fixados em carros da Polícia Rodoviária Federal no Ceará (PRF-CE) repercutiu na Internet nesta semana. Muitas eram as suspeitas de que a tecnologia gera multas em quem ultrapassa o limite de velocidade. A PRF, porém, nega a informação: “A câmera não é um radar, não aplica multa de velocidade. Ela é uma leitora de placas”, explica o superintendente do órgão, Stênio Pires.

Segundo ele, o equipamento obtém informações como atrasos nos pagamentos de licenciamento e Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), além de verificar se o veículo é furtado ou roubado. A tecnologia utilizada, chamada Optical Character Recognition (OCR), é a mesma dos radares comuns. “A inovação é que essa técnica será embarcada na viatura”, cita Stênio.

O dispositivo ainda está em fase de testes. Apenas uma viatura circula com o instrumento. A expectativa é de que todos os veículos passem a ter o equipamento no próximo ano. A tecnologia, exclusiva da PRF-CE, foi desenvolvida pelo Núcleo de Tecnologia da Informação (TI) do órgão. “A intenção é expandir esse sistema para outras entidades”, prospecta o gestor.

Teste

Uma equipe da PRF demonstrou o uso do radar durante blitz realizada no quilômetro 6 da BR-116 ontem. A viatura ficou a cerca de 1 km do local. O caminhão conduzido por Alencar Araújo, 35, foi flagrado pela câmera: o licenciamento não estava pago. Mesmo com documentação apreendida pelos agentes, o motorista elogiou a nova ferramenta. “Agora, não tem como burlar a lei”, disse.

Conforme o gerente de TI da PRF, Paulo César Fernandes, o novo dispositivo otimiza a operacionalização de abordagem dos policiais. “Conseguimos, com as câmeras, parar somente os (carros) que apresentam alguma irregularidade”, aponta.

Fonte: O Povo