Foto: Reprodução

Desde o início da pandemia da Covid-19 no ano passado, o presidente da Unimed Fortaleza, Dr. Elias Leite, tem publicado na sua conta do Instagram (@eliasbezerraleite) e divulgado pelo WhatsApp vídeos relatando a situação dos atendimentos nos hospitais da rede. Nas gravações, o gestor sempre busca transmitir para a população uma mensagem de esperança dizendo que esse momento vai passar e que “vai dar certo!”. O bordão, marca registrada do Dr. Elias, começou a ser utilizado por diversos estabelecimentos e marcas, visando apoiar o presidente da Cooperativa, enaltecer todo o trabalho realizado pela Unimed Fortaleza e pelos profissionais de saúde que estão na linha de frente do combate à pandemia, além de propagar uma mensagem de otimismo nesse período tão difícil que estamos enfrentando.

A corrente se tornou uma grande viralização nos mundos on e off line, vem se espalhando e inúmeras empresas e membros da sociedade civil cearense vêm aderindo à campanha utilizando a hashtag #vaidarcerto. Alguns estabelecimentos estão estampando em suas fachadas a mensagem e outras empresas vêm propagando essa onda de otimismo nas suas redes sociais. Dentre as empresas que já aderiram ao movimento estão McDonald ‘s, Mundo Pet, Normatel Home Center, Asa Sul, Roma Distribuidora, Farias Brito, Le Pain Le Café, Ibyte e muitas outras.

O bordão nasceu de forma espontânea com o objetivo de garantir que, independentemente do que acontecesse, os clientes poderiam contar com a Unimed Fortaleza e que a cooperativa faz todos os esforços para atender os pacientes da melhor forma possível, reforçando a vocação para cuidar da cooperativa.

A Unimed Fortaleza acredita no “vai dar certo!” e, após grande repercussão do bordão que nasceu dentro dos muros verdes, entende a necessidade de contar a todos que aderiram à campanha da Unimed Fortaleza, a história por trás da expressão que traz esperança.

A mensagem traduz todas as atitudes tomadas para combater a pandemia, mas também é um chamado para que todos façam a sua parte usando máscaras, higienizando as mãos com frequência, seja com água e sabão, seja com álcool em gel, evitando aglomerações e praticando o isolamento social sempre que possível.

“É fundamental sermos claros com a população a respeito da situação que estamos vivendo, mas, justamente por ser um momento tão difícil e angustiante para todos, sempre acreditei que é também muito importante mantermos um otimismo responsável diante desse cenário e por isso faço questão de finalizar todos os vídeos com o ‘vai dar certo’. Das vezes que, por algum motivo, não falei a frase, diversas pessoas me cobraram, pois diziam que precisavam ouvir essa mensagem para acreditarem que tudo isso vai passar”, relata Dr. Elias Leite, presidente da Unimed Fortaleza.

O gestor afirma ainda que está muito feliz com a propagação da corrente de otimismo e que o apoio e as homenagens têm sido um grande estímulo tanto para os gestores da Unimed Fortaleza, quanto para os profissionais de saúde que estão atuando na linha de frente do combate à Covid-19. “Ficamos todos muito surpresos e estamos muito agradecidos por cada iniciativa e empresa que, assim como nós, acredita que vai dar certo. Faço visitas frequentes ao Hospital Unimed, mas nunca tinha visto a nossa equipe com tanta energia para enfrentar essa situação. Cada fachada pintada, cada carro adesivado, cada post no Instagram, enfim, a cada manifestação do #vaidarcerto, podem ter certeza que vidas estão sendo salvas, pois nos dá mais forças para continuar nessa luta até o final”, celebra Dr. Elias.

A campanha #vaidarcerto enfatiza o objetivo pelo qual a Unimed Fortaleza está lutando, com profissionais comprometidos e uma gestão eficiente para enfrentar essa situação. O movimento também enfatiza a importância da transparência nesse momento, pois informações claras, bem como posturas sérias e comprometidas também salvam vidas. “O vai dar certo não é apenas ‘um grito de guerra’ em meio a essa dura batalha, mas sim uma campanha que convida as pessoas a fazerem sua parte, pois, para dar certo, é preciso estarmos todos juntos nesta luta”, finaliza Dr. Elias.