WhatsApp-Image-2016-10-06-at-16.11.56-1 Cotidiano
Foto: Divulgação

O prolongamento da Avenida Cel. Miguel Dias foi concluído e liberado para tráfego nesta semana. De acordo com a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seinf), a via, antes sem saída, recebeu a abertura de um novo trecho, permitindo a ligação com a Avenida Pinto Bandeira, no Bairro Luciano Cavalcante.

Desta forma, nesta quinta-feira (6), quem trafega pelos bairros Salinas e Edson Queiroz já pode seguir na Avenida Miguel Dias até a Avenida José Leon, na Cidade dos Funcionários, sem precisar acessar a Avenida Washington Soares.

A Seinf iniciou a obra de ampliação e requalificação viária da avenida, em janeiro deste ano. No local estão sendo finalizados os serviços de paisagismo, iluminação e sinalização da pista, que passará a contar com ciclofaixa, junto ao canteiro central, em ambos os sentidos da avenida.  As intervenções devem se estender até o final do mês de outubro, e não devem comprometer o trânsito daquela região.A obra de extensão da avenida permite o acesso aos bairros Guararapes, Luciano Cavalcante e Cidade dos Funcionários, sendo rota alternativa à Avenida Washington Soares.

Nova interligação
A obra possibilitou o prolongamento da Avenida Cel. Miguel Dias até a Avenida Pinto Bandeira, no trecho compreendido entre a Avenida Almirante Maximiliano da Fonseca e a Rua Nelson Studart. Além da interligação das avenidas por meio de pista dupla com duas faixas de cada lado, foram realizados ainda os serviços de 188 metros de drenagem, com instalação de 13 bocas de lobo, 5.216m² de pavimentação asfáltica, construção de canteiro central e calçadas.

O novo trecho criado, contribuirá para a melhoria no trânsito da Avenida Washington Soares, uma das vias mais movimentadas de Fortaleza, por onde trafegam, atualmente, cerca de 90 mil veículos por dia.

transito_gioras Cotidiano
Obra possibilitou o prolongamento da Cel. Miguel Dias até a Pinto Bandeira, no trecho compreendido entre a Avenida Almirante Maximiliano da Fonseca e a Rua Nelson Studart. (Foto: Seinf/Divulgação)

Fonte: G1