Foto: Reprodução

Mesmo com o prolongamento da quarentena e com o cenário de medos e incertezas, ainda provocados pela pandemia do Covid-19, é preciso olhar lá na frente para não ser pego de surpresa o com o “novo normal” que está surgindo. Sim, porque ao mesmo tempo que as pessoas aguardam pelo o momento que a vida voltará ao normal, a grande maioria já entendeu que este normal jamais será o mesmo conhecido antes do Coronavírus. Parece que a humanidade, novamente, será dividida entre AC e DC.

Uma das grandes promessas deste “novo normal”, é consolidação do sistema home office, no Brasil. Segundo o empresário e mentor de pequenas e médias empresas, Marcus Marques, a urgência em tirar a população de circulação e a necessidade de se continuar trabalhando, quebrou o paradigma negativo contra o trabalho remoto no país. “É uma questão cultural. Enquanto empresas e empresários brasileiros olhavam descrentes para o sistema, acreditando que fora do ambiente empresarial o trabalho não seria produtivo, Europa e EUA há anos já entenderam que o home office, bem estruturado, tem tudo para dar certo, e dá”. Observa o mentor.

Com o caos instaurado pela pandemia, profissionais das mais diferentes áreas foram obrigados a se reinventar e, de última hora, precisaram aprender a trabalhar de casa. Claro que num primeiro momento, tudo foi feito no improviso e no susto, fazendo com que empresas e colaboradores se organizassem do jeito que fosse possível. No entanto,  esse susto serviu para provar que é possível obter bons resultados com o trabalho a distância. Além disso, a experiência mostrou que trabalho, economia e qualidade de vida podem andar de mãos dadas. Isso gera grandes expectativas que o sistema home office se consolide no pós-quarentena e que, em alguns casos, o velho vale-transporte possa sair de cena para dar lugar ao vale-wi-fi. “Chega ser desumano o tempo que algumas pessoas demoram no trânsito para ir e voltar do trabalho. Entre tantos benefícios do home office, podemos citar melhor qualidade de vida dos profissionais que, sem perder tantas horas no trânsito e ganhando mais tempo para vida pessoal, acaba tendo melhor desempenho e gerando melhores resultados”. Completa o empresário.

Empresas de pequeno, médio e grande porte, dos mais diferentes segmentos, já sinalizam o desejo de permanecer com o sistema. Neste caso, para que a efetivação do trabalho remoto tenha sucesso, são necessários alguns ajustes. Segundo Marcus Marques, é preciso disciplina e organização.  Apesar de estar em casa, os profissionais estão em horário de trabalho e isso deve ser respeitado como se estivessem na empresa.  Aliás, tudo deve ser mantido da mesma forma, afinal, a única coisa que mudou foi o endereço, e nada mais. Por isso, é preciso respeitar os horários de início e término da jornada diária, bem como a pausa para o almoço e o coffeebreak. Além disso, é fundamental estabelecer acordos com os demais moradores da casa, para que o horário de trabalho também seja respeitado por eles. Por outro lado, é fundamental que a empresa ofereça toda a infraestrutura para que o funcionário possa trabalhar de casa com conforto e segurança.

Exatamente como fez uma grande empresa de investimentos. O sucesso foi tão grande,  que recentemente eles anunciaram que, independente do término da quarentena,  o home office será estendido até o fim ano. O colaborador poderá escolher se volta para empresa ou se mantém o trabalho à distância. Numa pesquisa feita entre os funcionários, em abril, 95% deles disseram que gostariam de manter, pelo menos, um dia por semana de home office e quase 60%, entre três e quatro dias.

Segundo a empresa, é notório a satisfação dos funcionários que, sem o deslocamento,  deixaram de perder tanto tempo no trânsito. Tal satisfação, já reflete nos resultados apresentados, pois o trabalho durante a quarentena tem sido bastante eficiente e produtivo.

Ao se pensar em home office, o grande desafio das empresas é manter o  controle das horas de trabalho e uma gestão organizada, para não atrapalhar o rendimento da produção. Desenvolvido pela DIMEP, empresa líder no mercado em soluções completas para acesso e gestão de jornada de trabalho, o sistema Kairós é um facilitador de gestão à distância que  proporciona transparência e assegura os direitos trabalhistas dos colaboradores.

Para contribuir com as empresas que foram obrigadas a aderir o sistema home office sem prévio aviso, a DIMEP disponibilizou gratuitamente por 90 dias os recursos de marcação de ponto WEB e o aplicativo para smartphone do Kairos para que as empresas possam realizar a gestão de sua força de trabalho durante o home office, com segurança e transparência. Ambos os recursos fazem parte do sistema de ponto em nuvem Kairos, que está em constante evolução.

Não podemos esquecer que empresas são resultados de pessoas. Por isso, dar atenção primeiro ao bem estar do funcionário, pode garantir melhores resultados. Como tudo que é novo precisa de ajustes e um tempo de adaptação, é fundamental oferecer assistência emocional ao colaborador nesta fase de transição. Por mais que haja inúmeros benefícios no trabalho remoto para o profissional,  a partir do momento que essa mudança deixa de ser temporária e se torna efetiva, é preciso parar para olhar questão emocional e ajudá-lo no processo de adaptação, pois a mudança interferirá diretamente na vida pessoal e familiar dessa pessoa.

“Equilíbrio emocional é a chave em situações de crise como a que enfrentamos. Compreender o que é equilíbrio emocional e aplicar técnicas para alcançar este equilíbrio é uma estratégia que deve ser implementada com a mesma velocidade do Home Office. Em resumo, o cuidado com a saúde e emoção devem estar no centro do processo para que pessoas e empresas saiam fortalecidos desta crise”, explica Flora Alves, CLO da SG – Aprendizagem Corporativa.