Foto: Divulgação

Com o objetivo de afastar crianças e adolescentes carentes das ruas e mantê-las longe das drogas, o projeto Grupo Esperança Capoeira promove a socialização dos jovens e mostra que a PMCE pode desenvolver outras formas de combate ao crime, através da educação e do esporte. A ação social foi idealizada pelo professor e subtenente PM Quirino, lotado na 2ª Companhia do 3° Batalhão Policial Militar da Polícia Militar do Ceará, há quase 12 anos, no município de Tianguá, região da Serra da Ibiapaba.

Inicialmente, o projeto era direcionado para jovens em áreas de conflitos e em situação de risco social. Atualmente, ele se estende para crianças e adultos carentes de diferentes idades, entre quatro e 57 anos. Os treinos de capoeira tiveram início no interior do quartel, mas após alguns anos, foram estendidos para outros seis bairros da cidade, além de alguns sítios, devido ao seu crescimento e procura.

“Por trabalhar nas ruas e ver a criminalidade crescendo, achei conveniente também combater o crime educando. Chamei jovens que, na época, eram inimigos de bairro e os levei para dentro do quartel. Nesses anos de esforços e fé, eles se uniram e hoje, anos depois, colho os frutos. Com a educação militar e familiar, somada à educação escolar, a capoeira transformou a vida de muitos desses adolescentes que, hoje em dia, são bons profissionais entre advogados, educadores físicos, administradores, contabilistas, técnicos agrícolas. O mais importante é termos homens e mulheres bem-educados devido a este pequeno projeto”, declara o idealizador do projeto, subtenente PM Quirino.

O projeto precisa de recursos para continuar funcionando, por isso, quem quiser doar pode ligar para o número (88) 99440-0230.